Feijão: Antes da metade de Julho ocorrerá importações da China

Publicado em 13/06/2013 16:05
1231 exibições Imprimir

Feijão carioca: Na madrugada de hoje houve oferta de 14.000 sacas com sobras de, aproximadamente, 9.00 sacas. As referências de hoje foram: R$240 nota 9; R$220,00 nota 8,5, R$ 200,00 nota 8 e R$ 170,00 nota 7.

Feijão preto: Antes da metade de Julho, pode ocorrer importações da China. Mesmo com um valor alto, em torno de R$ 160, ainda assim para a chegada no mês de Setembro/ Outubro será um valor sensato. Algumas empresas no Paraná estão propondo aos produtores um valor de R$ 130 para que eles plantem com contrato para colheita na primeira safra, porém os produtores estão dando prioridade aos contratos de soja e esquecendo do feijão. No campo, é difícil encontrar produtores que comercializem por menos de R$ 155. Já nos cerealistas são raras as ofertas em torno de R$ 165 FOB.

Feijão caupi: Ainda há exportação acontecendo em pequenos volumes, e a venda no mercado interno acontece por até R$ 35 no Mato Grosso para o Guariba. A variedade bico de ouro continua quase que sem referências e o da variedade nova era em torno de R$ 40. Alguns negócios acontecem em Guariba também por R$ 64 posto porto. Se houver demanda pelos países importadores com certeza o resultado aos produtores será de grande valor. O que vem atrapalhando no momento é a valorização do dólar que retrai os países importadores até que se tenha algum sinal de estabilidade.

Fonte: Correpar

2 comentários

QUER DEIXAR SEU COMENTÁRIO?

Se você já é cadastrado faça seu login ou cadastre-se no Notícias Agrícolas para poder deixar comentários.

  • victor angelo p ferreira nepomuceno - MG 15/06/2013 06:55

    O mesmo falo do carioquinha, está perdendo o gosto...Saudade dos meieiros de arroz e feijão...
    Hoje os maiores "produtores" de alimentos, são os Supermercados...

  • José Roberto de Menezes Londrina - PR 13/06/2013 17:37

    A importação dos resíduos de feijão velho da China destruiu a cadeia produtiva de feijão preto brasileiro. A péssima qualidade da feijoada feita com o feijão chinês reduziu o consumo. Um verdadeiro pesadelo para as donas de casa. Os minutos de fogão para preparar a saborosa e alegre feijoada dos sábados, viraram horas de pesadelos e criticas para uma sopa de pedras com sabor detergente. O oportunismo de poucos e a omissão do governo destruiu o prato típico dos brasileiros. As empresas responsáveis pelas importações de feijão velho deveriam pedir desculpas aos produtores de feijão e aos consumidores da tradicional feijoada brasileira.