Café: NY fecha em alta com chuva irregular no Brasil

Publicado em 26/09/2014 17:21 e atualizado em 26/09/2014 18:30
631 exibições

Nesta sexta-feira (26), a Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica encerrou as cotações em alta, devolvendo parte das perdas da sessão anterior após registrar intensa volatilidade. O contrato dezembro/14 registrou 186,05 cents de dólar por libra peso, o março/15 anotou 190,25 cents/lb e o maio/15 fechou com 192,70 cents/lb, ambos os contratos com valorização de 375 pontos. O contrato julho/15 também apresentou elevação e encerrou o dia cotado a 194,20 cents/lb com 370 pontos.

De acordo com o analista de mercado do Escritório Carvalhaes, Eduardo Carvalhaes, as cotações na Bolsa de Nova York permanecem influenciadas pela questão climática. “As informações dão conta que as chuvas nas principais regiões produtoras de café serão esparsas e em baixos volumes. As chuvas mais fortes devem cair no Estado de São Paulo e no Paraná”, afirma.

Segundo a Somar Meteorologia, as chuvas esparsas que caem na Mogiana e Sul de Minas Gerais ainda são de baixo volume. No entanto, em longo prazo podem induzir a florada. A previsão é de que de domingo até terça-feira a região continue recebendo pancadas.  De acordo com o meteorologista da Somar, Márcio Custódio, a chuva caindo mesmo com baixos níveis e em vários dias deve reduzir aos poucos o déficit hídrico na região.

Carvalhaes acredita que mesmo a região recebendo chuvas nos próximos dias, as perdas para a próxima safra já estão concretizadas “A chuva vai estancar as perdas, não significa que ela vai regularizar o cenário. Engenheiros agrônomos acreditam em perda grande para a safra do ano que vem”, diz. A região Sul de Minas – importante região produtora de café arábica sofre com déficit hídrico recorde.

Segundo levantamento realizado pela Organização Internacional do Café (OIC), as temporadas 2014/15 e 2015/16 devem ser marcadas por um déficit no mercado global de café. Segundo o chefe de operações, Mauricio Galindo, a OIC projeta um déficit no mercado de café arábica entre 4 milhões e 5 milhões de sacas em 2014/15.

Ainda de acordo com o analista, uma subida de patamar mais consolidada poderá ser vista apenas em janeiro, até lá o cenário na Bolsa será instável com dias de alta e baixa à medida que chegam novas especulações.

 

Mercado interno

De acordo com Carvalhaes, no mercado a liquidez é baixa com poucos negócios sendo realizados. O cafeicultor está segurando sua produção até que dados mais precisos da safra atual sejam divulgados e confirmados. Para o analista, o produtor deve ficar atento a sua produção e programar as vendas nos dias de alta sem segurar todo o café. 

 

Na BM&F, arábica registra alta na maioria dos vencimentos

O café arábica na BM&FBovespa encerrou a sessão com alta na maioria dos contratos. No tipo 4/5, o vencimento dezembro/14 está cotado a US$ 221,70 a saca de 60 kg com 2,62% de alta. O contrato março/15 finalizou a sessão com US$ 230,50 e valorização de 3,22% e o setembro/15 anotou US$ 234,00 a saca e 2,77% de alta.

O tipo 6/7 encerrou com seus contratos no campo misto. O dezembro/14 está cotado a US$ 209,00 a saca de 60 kg com alta de 0,48% e o setembro/15 registrou US$ 222,95 e desvalorização de 1,00%.

 

Londres recupera ganhos nesta sexta-feira

A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) para o café robusta encerrou a sessão desta sexta-feira com preços mais altos com notícias sobre a safra do Vietnã que deve ter queda de 10% neste ano. Com isso, o vencimento novembro/14 finalizou o dia cotado a US$ 1.955 por tonelada com 11 pontos de alta, o janeiro/15 registrou US$ 1.969 com valorização de 12 pontos. O contrato março/15 registrou US$ 1.980 e 10 pontos de alta.

 

Veja as cotações completas de café nesta sexta-feira (26).

Tags:
Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário