Frango Vivo: Com demanda aquecida, mercado encerra a semana com alta de preços em SP, MG, GO e PR

Publicado em 06/11/2015 18:26 e atualizado em 06/11/2015 19:04
120 exibições

Nesta sexta-feira (06), os preços para o frango vivo ficaram estáveis nas principais regiões, depois de uma semana de altas em diversas praças de comercialização. Com o início do mês, quando a maior demanda pela proteína, as cotações reagiram, assim como era esperado pelo mercado.

De acordo com informações do boletim semanal do Cepea, as altas aconteceram devido ao aquecimento do consumo, depois de encerrar o último mês com preços firmes para o vivo. “O principal motivo foi a maior demanda, para atender ao típico aumento de consumo de início de mês e para repor os estoques comercializados no feriado prolongado da última segunda-feira, 2”, explica os pesquisadores.

O analista da Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, também aponta para um aquecimento no mercado neste início de novembro, e aposta que nas próximas semanas novas altas devem ser registradas. “A procura sinaliza um aquecimento neste momento, frente a um quadro de disponibilidade interna ajustado”, comenta.

Preços

Segundo levantamento realizado pelo economista do Notícias Agrícolas, André Lopes, São Paulo foi a região com maior valorização na semana, com 3,33%. Na praça paulista, a referência de preços para os avicultores independentes fechou a semana a R$ 3,10/kg.

Em Goiás, as cotações também 3,33% e negócios a R$ 3,10/kg. Em Umuarama (PR), a alta foi de 1,67%, com o vivo valendo R$ 3,02/kg. Cascavel (PR) também registrou aumento de preços em 0,85%, com referência a R$ 2,38/kg. Veja no gráfico:

Já em Minas Gerais, a alta da semana foi de 3,08%. Segundo informações da Avimig (Associação dos Avicultores de Minas Gerais), a referência para o vivo passou de R$ 3,25/kg para R$ 3,35/kg – maior referência dentre as principais praças de comercialização.

Exportações

Nesta semana, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) divulgou exportações de outubro para a carne de frango in natura, que teve desempenho abaixo do esperado para o mês.

Em volume, chegam a 298,4 mil toneladas e média diária de 14,2 mil toneladas. O resultado é abaixo dos dados de setembro em 10,4%, além de ter registrado queda de 0,9% em comparação com novembro de 2014. Em receita, a soma é de US$ 452,3 milhões e o valor por tonelada está US$ 1.515,9.

De acordo com informações divulgadas pela ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), as chuvas no sul do país – região com maior produção – impactou nos embarques da proteína.

“A demanda existe e os negócios seguem firmes. Entretanto, problemas internos ocorridos ao longo do mês causaram impactos no setor. Um exemplo foi a interdição do porto de Itajaí, principal saída das exportações brasileiras de carne de frango, em decorrência às fortes chuvas. Outros portos também foram impactados. Ao mesmo tempo, tivemos os rescaldos da greve dos fiscais federais agropecuários, que perduraram durante a primeira quinzena do mês”, destaca o presidente-executivo da ABPA, Francisco Turra.

» Acesse as cotações na íntegra para o frango vivo

Tags:
Por: Sandy Quintans // André Lopes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário