ABCS cobra medidas emergenciais quanto a venda de milho balcão

Publicado em 28/01/2016 07:25
91 exibições

O presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes, participou de reunião na manhã desta terça-feira (26/01), com o ministro interino da Agricultura, André Nassar, e a equipe econômica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para tratar sobre a crise pela qual passa a suinocultura com a alta no preço do milho.  No encontro, Lopes expôs a grave situação enfrentada pelos produtores da região Sul e também sugeriu o aumento do limite de compra do milho balcão. Após ouvir as demandas do setor, Nassar se comprometeu a conversar com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e tentar um acordo.

De acordo com Marcelo Lopes, nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, pequenos e médios produtores têm enfrentado condições insustentáveis de produção. A ideia, segundo Lopes, é que a Conab aumente o limite de compra de 6 mil kg de milho por produtor ao mês, por um período emergencial. “Os leilões anunciados pela Conab darão um alívio aos produtores, mas não atinge os pequenos e médios suinocultores que fabricam a própria ração. Dessa forma, acreditamos que o aumento do limite de compra do milho balcão será a medida mais rápida e eficaz para sustentar a produção”, disse.

Segundo o presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs) e conselheiro de Relações com o Mercado da ABCS, Valdecir Luis Folador, os suinocultores da região Sul esperam ansiosos o resultado das negociações com a Conab.  “O aumento desse limite de compra pela Conab, além de ajudar a manter o sistema de produção, vai tirar um pouco da pressão no mercado, porque será mais uma alternativa para os produtores. No entanto, precisamos de uma resposta rápida por parte do governo, porque hoje vivemos uma situação insustentável com custo de produção a R$ 3,40 por animal, enquanto as vendas saem a uma média de R$ 2,80”, destacou.

Atualmente o estoque público de milho da Conab para o estado de Santa Catarina é de 43 mil toneladas e no Rio Grande do Sul de 10 mil toneladas. Conforme Marcelo Lopes, a quantidade é suficiente para aumentar o limite de compra de milho balcão por 90 dias. “Por isso esperamos contar com o apoio do governo, junto à Conab, pois essa medida será fundamental para a sustentação da produção suinícola brasileira e a sobrevivência dos pequenos e médios produtores”, enfatizou.

Desde dezembro do ano passado, o valor do milho aumentou em 10% e somente em janeiro deste ano, houve um aumento de 16,46%, resultando em R$43,27 no índice Esalq/BM&FBovespa, trazendo prejuízos para os suinocultores, que têm no milho a base para a alimentação dos animais.

No final da semana passada, a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, afirmou que o governo pretende fazer leilões para a venda de 500 mil toneladas. O primeiro leilão será realizado no dia 1º de fevereiro, por meio eletrônico. O preço de abertura só será divulgado dois dias antes. Poderão participar do pregão criadores de aves, suínos e bovinos, além de cooperativas e indústrias de insumo para ração animal e indústrias de alimentação humana à base de milho. Os lotes de milho sairão de armazéns da Conab de Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul e do Rio Grande do Sul.

Tags:
Fonte: ABCS

Nenhum comentário