Governo se reúne com produtores gaúchos de arroz para avaliar perdas causadas pela chuva

Publicado em 07/01/2016 16:33
33 exibições
Um dos principais problemas apontados pelos agricultores é o pagamento das dívidas

Preocupado com as consequências das intensas chuvas das últimas semanas no Rio Grande do Sul sobre a atividade agrícola, o Ministério da Agricultura, Pecuária (Mapa) está avaliando a situação para ver quais medidas a adotar para apoiar o setor. Nesta quarta-feira (6), o secretário de Política Agrícola, André Nassar, esteve em Uruguaiana, onde se reuniu com representantes dos sindicados e associações de produtores dos municípios da Fronteira Oeste e do centro do estado para debater quais providências o governo federal poderá tomar para apoiá-los. Uma das culturas mais castigadas pelas enchentes é a do arroz. O Rio Grande do Sul é o maior produtor brasileiro do grão. O secretário integrou uma comitiva do ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi.

Segundo Nassar, as principais demandas dos agricultores que participaram do encontro, promovido pela Federação de Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul) e pela Federação das Associações de Arrozeiros do Estado do Rio Grande do Sul (Federarroz), é o pagamento das dívidas, crédito rural, pré-custeio e seguro rural.

“A maior preocupação do governo, no momento, é realizar o levantamento das perdas agrícolas e o impacto delas sobre a renda dos agricultores”, assinala o secretário. “Vamos avaliar e estudar a melhor forma de adotar medidas que amenizem a situação dos produtores.”

Embora ainda não haja a exata dimensão do tamanho da quebra da produção gaúcha, um levantamento preliminar do Instituto Rio-Grandense do Arroz (Irga) indica que a safra 2015/2016 do cereal poderá sofrer perdas superiores a 15%.  A expectativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em dezembro do ano passado, era de uma colheita de 8,1 milhões de toneladas no estado, prevista para ocorrer entre março e em abril deste ano.

Para o secretário de Política Agrícola, não há razão para se preocupar com o abastecimento na mesa do consumidor. “O setor privado tem estoque, e o governo dispõe de 120 mil toneladas do arroz em casca armazenadas”, disse Nassar, que também esteve em Santa Maria (RS), junto com a comitiva do Ministério da Integração Nacional.

O encontro contou com a participação de representantes, entre outros municípios, de Uruguaiana, Alegrete, Barra do Quaraí, Itacurubi, Itaqui, Jaguari, Maçambará, Manoel Viana, Quaraí, Rosário do Sul, Sant'Ana do Livramento, Santa Margarida do Sul, São Borja, São Gabriel, Santa Maria, Cachoeira do Sul, Novo Cabrais, Paraíso do Sul, Restinga Seca, Rio Pardo, São Sepé, Santa Cruz do Sul e Vila Nova do Sul.

Tags:
Fonte: Mapa

Nenhum comentário