Mercado de Açúcar - OS TOUROS SE DIVERTEM

Publicado em 06/09/2010 18:17
912 exibições
Comentário Semanal – de 30 de agosto a 03 de setembro de 2010, por Arnaldo Luiz Correa.




O mercado de açúcar em NY fechou mais uma semana em alta. O vencimento outubro/2010 cravou 69 pontos de variação positiva na semana (15 dólares por tonelada), mas o destaque fica para os futuros com vencimentos para a próxima safra (maio/2011 até março/2012) com variações positivas de quase 25 dólares por tonelada e muito próximos de bater a máxima histórica de preços. Fala-se cada vez mais de quebra de safra no Brasil. Muita gente trabalhando com uma moagem abaixo de 570 milhões de toneladas (a estimativa da Archer Consulting no início de agosto era de 578,81). Os touros se divertem.

Para refrescar, ventos altistas sopraram vindos da Índia, onde vários executivos do setor atendiam a um seminário. Esses encontros às vezes acabam tendo um efeito de manada, com todos olhando numa só direção e quando percebem.....ooops, são derrubados pelos ursos. Enfim, de qualquer forma, não há como contestar que o quadro macro é construtivo e eventuais quedas expressivas representam muito mais uma oportunidade de compra dados os cenários de médio e longo prazos.

O açúcar no mercado interno, para corroborar, bateu a casa dos R$ 50,00 por saca, para desespero dos consumidores industriais que não fizeram nenhuma proteção contra a subida dos preços. Tava na cara do gol e chutaram pra fora. Não dá para adivinhar, claro. Mas, por isso mesmo que a proteção deve ser feita: porque não dá para adivinhar!

Estamos nos aproximando do vencimento das opções sobre futuros. A posição em aberto das opções de compra com preço de exercício de 20 centavos de dólar por libra-peso é de mais de 22.000 lotes e de certa forma já está – digamos – absorvida pelo mercado. Daí até 22 são mais 23.000 lotes e nunca se sabe o quanto disso é delta hedging nem o quanto o coração de cada um aguenta o tranco. Pelo sim, pelo não, não gosto muito de ficar exposto quando estou short gamma (uma maneira pomposa e impressionável de dizer que se está vendido opções correndo o risco de correções na posição, que acabam custando dinheiro), preferindo rolar para o vencimento seguinte. Fique ligado.

Os preços negociados no mercado internacional para o próximo ano começam a ficar extremamente atrativos para as usinas. Vale a pena começar a apontar os lápis e fazer fixações ou pelo menos proteções via fence – compra de uma put (opção de venda) e venda de uma call (opção de compra) ambas fora-do-dinheiro. Mesmo sem contar com nenhum prêmio, baseando-se nos fechamentos do mercado e do câmbio, a liquidação para as usinas apresenta uma média de R$ 31,54 por saca posto usina comparada com um custo médio de produção de R$ 27,20 por saca.

O contrato futuro de etanol na BM&F Bovespa continua crescendo, chegando aos 3.500 lotes em aberto. É pouco. Equivale ao consumo de hidratado no Brasil de apenas 54 horas. O vencimento janeiro/2011, que possui maior posição em aberto, fechou a semana liquidando o equivalente hoje a R$ 0,9389 por litro na usina, com um retorno estimado de 10,30%.

A discussão sobre possiveis cenários para o etanol para os próximos anos continua acirradíssima. Um experiente trader diz que trabalha com um número de produção brasileira de cana para a safra 2014/2015 de 815 milhões de toneladas, comparativamente à necessidade estimada, pela Archer Consulting, de 897 milhões de toneladas. Para chegar a produção que atenda à demanda, que conta com a expansão do consumo do hidratado via carros flex, do aumento dos alcóois para outros fins em 2,2 bilhões de litros e, entre outras coisas, da manutenção da fatia de participação no mercado internacional de açúcar, o Brasil teria que crescer 10,72% ao ano, demandando um investimento médio próximo de 8 bilhões de dólares ao ano. Para um setor que fatura US$ 30 bilhões por ano, 8 bilhões representam mais de ¼ desse montante. Todos parecem concordar que não atingiremos esse objetivo. Então, aparecem algumas alternativas que podem ser aplicadas em todo ou em parte, combinadas. São elas: a) a queda do consumo via aumento de preço do combustível; b) a importação de etanol; c) a implantação imediata de estoques reguladores. Anos interessantes nos aguardam.

Um atento leitor nos avisou sobre um erro no Fundo Fictício da Archer Consulting. Dissemos na semana passada que havíamos vendido um straddle de preço de exercício 18,50 centavos de dólar por libra-peso para vencimento março de 2011, coletando um prêmio de 467 pontos, contestado pelo leitor. Em verdade, nós erramos. Pegamos o prêmio de maio de 2011 (evidentemente maior) em vez do de março. Já acertamos os valores (467 contra 409). Dessa forma, fechamos a semana com um delta de 501 lotes equivalentes comprados e o resultado da semana aponta para um ganho tímido de US$ 72.619,99, colocando o patrimônio do Fundo em US$ 5.917.099,97, com retorno anualizado de 219,85%. Vamos zerar a exposição direcional na terça-feira, ajustando a partir daí toda vez que ela ultrapassar com 200 lotes comprados ou vendidos.

Boa semana e bom feriado para todos.

Arnaldo Luiz Corrêa

Fonte: Archer Consulting

Nenhum comentário