Boi: Pecuaristas retém os animais em busca de preços maiores

Publicado em 05/03/2013 17:05
681 exibições
Hyberville Paulo D´Athayde Neto
médico veterinário
Scot Consultoria


Mercado travado. 

Por um lado o pecuarista retém os animais, na tentativa de obter preços maiores. Isto tem mantido a oferta moderada e as escalas de abate não confortáveis. Em São Paulo atendem entre três e quatro dias, na maioria dos casos.

Do outro lado há a demanda fraca por carne, que tem diminuído a margem de comercialização da indústria e faz com que os frigoríficos segurem os preços de balcão. 

A margem de comercialização de um frigorífico que não realiza desossa está atualmente em 17,1%, o menor valor desde o início de junho do ano passado. Esta margem considera o valor pago pelo boi gordo e os produtos do abate, carcaça, miúdos e derivados.

Apesar de menor, a margem ainda está próxima à média histórica. Desde o início de 2008 a relação média é de 15,4%, 1,7 ponto percentual menor que a atual.

No mercado atacadista os preços estão estáveis e a demanda calma.

Clique aqui e confira as cotações do boi
Fonte: Scot Consultoria

Nenhum comentário