Boi: Valor do boi magro sobe 6,9% em relação ao ano passado

Publicado em 09/08/2013 17:00 e atualizado em 09/08/2013 18:24
1320 exibições

A análise do Banco Espírito Santo Research sobre o mercado do boi gordo mostra que os custos de confinamento mudaram este ano em relação ao ano passado. Com a queda generalizada do preço do milho, o que mais onera o confinamento hoje é o preço do boi magro, que subiu 6,9% no último ano de acordo com informativo Casa Rural. Já o preço do bezerro subiu 8,8% em relação a 2012.

 

Abaixo, veja a análise diária da Scot Consultoria:

Boi Gordo: Venda no mercado atacadista encontra-se fraca

Maisa Modolo Vicentin, engenheira agrônoma - Scot Consultoria

Mercado do boi gordo com poucos negócios nesta sexta-feira. 

Em São Paulo, alguns frigoríficos estão fora das compras, à espera de uma melhor definição do mercado. 

Outros mantêm as compras, mas testando os vendedores com valores menores. Nestes casos os negócios efetivos são raros. 

A oferta de animais terminados tem permitido que as empresas mantenham as escalas, mas não tem sido suficiente para derrubar as cotações. As escalas de abate atendem entre quatro e cinco dias, na maioria dos casos. 

Empresas com volume maior de animais a termo trabalham com programações mais confortáveis e mantêm as ofertas de compra em valores menores. 

No Triângulo Mineiro as escalas atendem cerca de seis dias, em média, mas com quantidade abatida menor que a média. O preço referência está estável. 

No mercado atacadista as vendas estão fracas. 

Clique aqui e confira as cotações do boi.

Fonte: Banco Espírito Santo + Scot

Nenhum comentário