Análise de mercado do boi gordo

Publicado em 21/05/2010 17:03 e atualizado em 23/05/2010 08:54 898 exibições

Hyberville Paulo D’Athayde Neto<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

médico veterinário

Scot Consultoria

 

Poucos negócios.

 

O mercado do boi gordo em São Paulo está parado. As escalas encurtaram e atendem, em média, de <?xml:namespace prefix = st1 ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:smarttags" />3 a 4 dias. Com isto, os frigoríficos precisam pagar mais para fecharem negócios.

 

Os frigoríficos que buscam animais em outros estados têm optado pela compra em Minas Gerais e em Goiás, onde a aceitação dos preços ofertados é melhor.

 

No Sul de Goiás, o preço referência está em R$75,00/@, a prazo, livre de imposto.

 

No Mato Grosso do Sul, a retração da oferta fez com que os preços subissem em Dourados e Três Lagoas. Frigoríficos de São Paulo têm pago mais que os frigoríficos locais. Hoje o preço referência está em R$76,50/@, a prazo, livre de imposto.

 

No Sul de Minas, alguns frigoríficos ofertam R$70,[email protected], a prazo, livre de imposto. Mas neste preço não ocorrem negócios. No entanto, as pastagens na região perderam capacidade de suporte e a referência caiu R$1,00/@. Está em R$73,00/@, a prazo, livre de imposto.

 

O mercado atacadista está estável. Mas com a redução da oferta de carne causada pela diminuição nos abates, existe possibilidade de reajustes.

 

Clique aqui e veja a cotação do boi.

Fonte:
Scot Consultoria

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário