Análise de mercado do boi gordo

Publicado em 29/06/2010 17:03 604 exibições

Alex Santos Lopes da Silva
zootecnista
Scot Consultoria


O mercado do boi gordo segue pressionado para cima.

As escalas de abate não evoluíram na maioria dos frigoríficos, atendendo de 2 a 3 dias, em média. Embora haja grande dificuldade para adquirir animais, os compradores resistem em pagar mais pela arroba, que segue estável em R$82,00, a prazo, livre do imposto, em São Paulo.

No Mato Grosso do Sul, já começam a aumentar os negócios a R$78,00/@, à avista, livre de funrural, e as empresas paulistas que vem fazendo escalas com animais sul-matogrossenses não encontram tanta facilidade na compra.

Mesmo com pastos perdendo qualidade, as ofertas de boiadas não aparecem. Além disso, a reposição ainda trava o mercado e alguns pecuaristas que possuem animais terminados, sentindo o momento de alta, continuam retendo.

No Paraná, a arroba teve alta de R$1,00 e está cotada em R$78,00, a prazo, livre de funrural. No entanto, existem compradores ofertando até R$80,00/@, nas mesmas condições.

No Norte do Tocantins, a arroba acumulou a segunda alta em dois dias consecutivos. Não está fácil se escalar no estado.

No mercado atacadista de São Paulo, os preços seguem estáveis e o volume de vendas é pequeno, o que ajuda a segurar o preço da arroba.

Clique aqui e veja as cotações do boi.

Fonte:
Scot Consultoria

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário