Café: cotações pressionadas na NYBOT com valorização do dólar frente ao real

Publicado em 16/03/2012 18:04 1077 exibições
Sem novos fatos no cenário dos fundamentos, os números sobre a próxima safra brasileira e a valorização do dólar frente ao real continuaram pressionando as cotações em Nova Iorque, apesar do cenário mais calmo nos mercados financeiros da zona do euro.

Em um país de dimensões continentais como o Brasil, com sua produção de café espalhada por dez estados, com climas, altitudes, solos e maneiras de plantio diferentes, até a CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento com sua estrutura e o apoio de diversas secretarias estaduais de agricultura, enfrenta dificuldades para levantar com precisão a produção de café no Brasil.

Nesse quadro, é difícil de acreditar na precisão dos números sobre a safra divulgados por operadores de mercado sem equipes técnicas para um trabalho de campo que permita uma estimativa independente da produção brasileira de café.

Os embarques brasileiros de café na última safra de ciclo alto (julho de 2010 a junho de 2011) foram de 35 milhões de sacas e nesta safra, de ciclo baixo, deverão ficar ao redor de 30 milhões de sacas. Agora, sem estoques, a realidade é que o Brasil contará apenas com o café da nova safra para abastecer seus clientes no exterior e o consumo interno, que está chegando aos vinte milhões de sacas por ano.

A discussão sobre se a nova safra brasileira será dois ou três milhões de sacas maior ou menor é totalmente sem sentido. O quadro é de aperto entre produção e consumo mais exportação. Em seguida, em 2013, a safra será de ciclo baixo. A Carvalhaes Participações e Empreendimentos Ltda. (Escritório Carvalhaes) e a Experimental Agrícola do Brasil Ltda. (grupo illycaffè) decidiram encerrar sua atuação conjunta como sócias da Porto de Santos Comércio, Exportação e Importação Ltda. (Porto de Santos). A participação antes detida pelo grupo illycaffè na Porto de Santos foi transferida a seu sócio, Escritório Carvalhaes, sendo que as partes, daqui em diante, continuarão com suas operações no Brasil de maneira independente.

A "Green Coffee Association" divulgou que os estoques americanos de café verde totalizaram 4.500.017 em 29 de fevereiro de 2012. Uma baixa de 6.793 sacas em relação às 4.506.810 sacas existentes em 31 de janeiro de 2012. Até o dia 15, os embarques de março estavam em 584.233 sacas de café arábica, 29.813 sacas de café conillon, somando 614.046 sacas de café verde, mais 62.800 sacas de solúvel, contra 471.391 sacas no mesmo dia de fevereiro. Até o dia 15, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em fevereiro totalizavam 1.154.810 sacas, contra 903.795 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 9, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 16, caiu nos contratos para entrega em maio próximo, 385 pontos ou US$ 5,10 (R$6,94) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em maio próximo na ICE fecharam no dia 9 a R$ 440,15/saca e hoje, dia 16, a R$ 434.67/saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em maio, a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 295 pontos.

Fonte:
Escritório Carvalhaes

0 comentário