Café: Cotações oscilaram fortemente em NY e fecham a semana em baixa

Publicado em 13/04/2012 18:55 899 exibições
O cenário para os negócios de café não se alterou. As cotações na ICE Futures US oscilaram fortemente e fecham a semana em baixa. O mercado continua atento às notícias sobre o dia a dia da crise financeira mundial e ignorando as informações que chegam sobre os fundamentos, todas apontando para um quadro delicado e perigoso. Problemas climáticos e produção em queda na América Central e Colômbia; estoques baixos e a cada mês menores tanto nos países produtores como nos consumidores; consumo crescendo e resistindo aos problemas econômicos do hemisfério norte, não são levados em consideração nas bolsas de futuro.

Hoje, os preços do café caíram com força em Nova Iorque, acompanhando outras commodities. Preocupações com a desaceleração do PIB chinês no último trimestre derrubaram as cotações em diversos mercados e nos contratos de café na ICE Futures US.

As bolsas são de futuro, mas os operadores só se mostram interessados pelo curto prazo!

A produção de café da Colômbia, segundo maior produtor de café arábica, caiu 27% no acumulado de 12 meses até março. Foram produzidas 7,040 milhões de sacas de 60 kgs, ante 9,58 milhões no mesmo período do ano anterior.

O CNC – Conselho Nacional do Café informou que os recursos do FUNCAFÉ – Fundo de Defesa da Economia Cafeeira para o Plano de Safra 2012 serão liberados em breve. Os recursos disponíveis são da ordem de R$2,450 bilhões, sendo R$ 1,5 bilhão para estocagem, R$ 500 milhões para custeio e colheita, que no vencimento poderão se convertidos em estocagem, R$ 250 milhões para o FAC- Financiamento para Aquisição de Café e R$ 200 milhões para uma linha de capital de giro para a torrefação (veja mais em nosso site).

Até o dia 12, os embarques de abril estavam em 386.723 sacas de café arábica, 9.639 sacas de café conillon, somando 396.362 sacas de café verde, mais 66.068 sacas de solúvel, contra 475.945 sacas no mesmo dia de março. Até o dia 12, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em abril totalizavam 913.553 sacas, contra 831.293 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 5, quinta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 13, caiu nos contratos para entrega em maio próximo, 380 pontos ou US$ 5,03 (R$ 9,25) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em maio próximo na ICE fecharam no dia 5 a R$ 442,75/saca e hoje, dia 13, a R$ 435,45/saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em maio, a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 370 pontos.

Fonte:
Escritório Carvalhaes

2 comentários

  • Odayr Flávio Teixeira Carmo da Cachoeira - MG

    Concordo plenamente com os comentários do Antonio Pedro da Silva (abaixo), e acrescento:

    Quem quer apostar deveria ir para Las Vegas e não ficar apostando em Bolsas/Comodities, fazendo com que o preço do produto atinja valores fora da realidade de mercado. Acredito que o valor justo e NECESSÁRIO para sobrevivência da cafeicultura e atendimento ao mercado consumidor deverá ser acima de R$ 650,00 a saca!!

    0
  • ANTONIO PEDRO DA SILVA Santos - SP

    VOLTO A AFIRMAR. SO ESPECULAC'OES. QUEM MANDA NO PREC,O DO CAFE E' QUEM TEM ELE NA M~AO.

    UM BOM CONSELHO. NAO VENDA SEU CAFE. DEIXE OS ESPECULADORES BRINCAREM NA BOLSA

    QUANDO OS COMPRADORES INTERNACIONAIS QUISEREM REALMENTE O PRODUTO TERAO QUE PAGAR ACIMA DE R$ 450,00 A SACA PARA CAFES MEDIOS E OS FINOS ACIMA DE R$500,00.

    0