Café: Mais uma semana de pressão especulativa no preço do arábica em NY

Publicado em 22/03/2013 19:00
931 exibições
Mais uma semana de pressão especulativa sobre os preços do café arábica em Nova Iorque. O número de contratos em aberto para maio próximo, 104 004, dá uma ideia da tranquilidade dos operadores em café na ICE Futures US. 

Em maio, a colheita de arábica no Brasil, de ciclo baixo, estará apenas no início (em algumas regiões os trabalhos só começam em junho), sujeita a problemas climáticos, como ocorreu na safra passada e ao período de frio nos cafezais do sudeste brasileiro. Os principais concorrentes do Brasil na produção de arábicas (o Brasil já é responsável por mais de 50% do consumo mundial desta variedade), Colômbia e América Central, enfrentam nos últimos anos problemas climáticos e de pragas, além de suas colheitas só começarem nos últimos meses do ano. 

Mesmo com esse quadro, que recomenda cautela, os operadores no mercado futuro de arábica mostram tranquilidade e derrubam as cotações semana após semana. Está mais do que na hora do governo brasileiro agir. É preciso rapidez e agressividade.

As cotações em Nova Iorque vão pautar os preços de venda e embarque da nova safra 2013/2014. Como já informamos em nosso último boletim, as exportações de café verde entre países produtores de café cresceram doze vezes de 2000 para cá. Nessas exportações estão os maiores aumentos de exportação de robusta em 2012. 

Os mercados internos dos países produtores de café são os que mais crescem atualmente e estão crescendo principalmente em cima do robusta, por ser mais barato e principal matéria prima do solúvel. Boa parte do crescimento dos mercados internos da Colômbia, América Central e Índia acontece com café solúvel. Este consumo de robusta e solúvel é bem-vindo porque não está deslocando o arábica e sim conquistando novos consumidores, que no futuro poderão evoluir para o arábica.

Até o dia 21, os embarques de março estavam em 1.174.371 sacas de café arábica e 14.418 sacas de café conillon, somando 1.188.789 sacas de café verde, mais 80.305 sacas de café solúvel, contra 1.097.046 sacas no mesmo dia de fevereiro. Até o dia 21, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em março totalizavam 1.805.290 sacas, contra 1.541.005 sacas no mesmo dia do mês anterior. 

A bolsa de Nova Iorque ICE, do fechamento do dia 15, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 22, caiu nos contratos para entrega em maio próximo, 220 pontos ou US$ 2,91 (R$ 5,86) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em maio próximo na ICE fecharam no dia 15 a R$ 360,31/saca e hoje, dia 22 a R$ 360,63/saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em maio, a bolsa de Nova Iorque fechou com alta de 155 pontos. 

No mercado calmo de hoje, são as seguintes cotações nominais por saca, para os cafés verdes, do tipo 6 para melhor, safra 2012/2013, condição porta de armazém: 

R$310/320,00 - CEREJA DESCASCADO (CD), BEM PREPARADO. 
R$310/320,00 - FINOS A EXTRAFINOS MOGIANA E MINAS. 
R$300/310,00 - BOA QUALIDADE DUROS, BEM PREPARADOS. 
R$290/300,00 - DUROS COM XÍCARAS MAIS FRACAS. 
R$280/290,00 - RIADOS. 
R$270/280,00 - RIO. 
R$260/270,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: DURA. 
R$250/260,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: RIADAS. 

DÓLAR COMERCIAL DE SEXTA-FEIRA: R$ 2,0150 PARA COMPRA.

Fonte: Escritório Carvalhaes

Nenhum comentário