Café: Conselho Monetário Nacional aprova prorrogação das operações de crédito rural

Publicado em 05/04/2013 19:48 1116 exibições
Na reunião do CMN – Conselho Monetário Nacional, realizada no último dia 28, véspera da sexta feira santa, feriado nacional, foi aprovada a prorrogação das operações de crédito rural para estocagem contratadas no período de 1º de janeiro de 2012 a 28 de março de 2013, mas a aguardada elevação do preço mínimo do arábica para R$ 340,00 por saca, nem chegou a ser analisada nessa reunião.

Sem aprovar o novo preço mínimo, o CMN impediu a adoção de instrumentos de defesa como o programa de opções (o mais importante) e o PEPRO – Prêmio Equalizador Pago ao Produtor, necessários para impedir a pressão especulativa do mercado sobre o preço pago aos cafeicultores brasileiros pelos cafés ainda não comercializados. Os preços praticados atualmente estão abaixo do custo de produção até dos cafeicultores com lavouras irrigadas e mecanizadas.

A semana começou com uma enorme sensação de frustração por parte da cafeicultura brasileira. O diretor do Departamento de Café do Ministério da Agricultura, Edilson Alcântara, declarou que o novo preço mínimo do café deverá ser apreciado na próxima reunião do CMN, dia 25 de abril. 

A informação deu algum ânimo aos produtores, mas a verdade é que eles ficarão mais um mês ao “relento”. Neste mês de abril deverão ser comercializadas pelos cafeicultores brasileiros ao redor de quatro milhões de sacas de café. Esses negócios possivelmente seriam beneficiados pelas expectativas criadas no mercado com a aprovação do novo preço mínimo e, em seguida, com o anúncio dos leilões de opções e PEPRO. Todo este processo ficou adiado para o próximo mês.
 
Em relação a atual safra 2012/2013, será tarde para muitos cafeicultores.

A Nestlé planeja construir um centro de café na Província de Yunnan, sudoeste da China. Vai investir aproximadamente 16 milhões de dólares para construir um instituto de cultivo de café, armazéns e um laboratório. O instituto de cultivo oferecerá treinamento a 5 mil lavradores, agrônomos e profissionais de negócios de café todos os anos, diz um comunicado online da Nestlé. 

A empresa vem aumentando sua compra anual de grãos de café em Yunnan, que vendeu 22 mil toneladas (aproximadamente 366 mil sacas de 60 kgs.) de café à Nestlé nos últimos dois anos. A Província de Yunnan é responsável por mais de 98% da produção chinesa total.

O CECAFÉ – Conselho dos Exportadores de Café do Brasil, informou que no último mês de março foram embarcadas 2.513.434 de sacas de 60 kg de café, aproximadamente 11% (252.495 sacas) mais que no mesmo mês de 2012 e 14% (307.421 sacas) a mais que no último mês de fevereiro. Foram 2.167.127 sacas de café arábica e 58.020 sacas de café conillon, totalizando 2.226.147 sacas de café verde, que somadas a 286.067 sacas de solúvel e 2.220 sacas de torrado, totalizaram 2.513.434 sacas de café embarcadas.

Até o dia 4, os embarques de março estavam em 125.912 sacas de café arábica e 906 sacas de café conillon, somando 126.872 sacas de café verde, mais 7.055 sacas de café solúvel, contra 33.062 sacas no mesmo dia de fevereiro. Até o dia 4, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em março totalizavam 379.924 sacas, contra 300.413 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 28, quinta-feira, até o fechamento de hoje, sextafeira, dia 05, subiu nos contratos para entrega em maio próximo, 300 pontos ou US$ 3,97 (R$ 7,90) por saca.

Em reais por saca, as cotações para entrega em maio próximo na ICE fecharam no dia 28 a R$ 366,11/saca e hoje, dia 05 a R$ 368,74/saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em maio, a bolsa de Nova Iorque fechou com alta de 65 pontos. No mercado estável de hoje, são as seguintes cotações por saca, para os cafés verdes, do tipo 6 para melhor, safra 2012/2013, condição porta de armazém:

R$315/325,00 - CEREJA DESCASCADO – (CD), BEM PREPARADO.
R$315/325,00 - FINOS A EXTRAFINOS – MOGIANA E MINAS.
R$305/310,00 - BOA QUALIDADE – DUROS, BEM PREPARADOS.
R$290/300,00 - DUROS COM XÍCARAS MAIS FRACAS.
R$280/290,00 - RIADOS.
R$270/280,00 - RIO.
R$260/270,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: DURA.
R$250/260,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: RIADAS.

DÓLAR COMERCIAL DE SEXTA-FEIRA: R$ 1,9890 PARA COMPRA.
Fonte:
Escritório Carvalhaes

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário