Café: Contratos na bolsa de NY fecham semana com baixa de 965 pontos

Publicado em 24/05/2013 17:46 788 exibições

Desânimo é o que se sente quando se fala com cafeicultores brasileiros. Mesmo os mais produtivos, estabelecidos em regiões mecanizáveis, não estão satisfeitos com os preços praticados pelo mercado.


Em pleno início de colheita as cotações estão abaixo do preço mínimo, recém reajustado pelo governo federal e considerado pelas lideranças do setor aquém dos custos de produção de muitas regiões produtoras.


Tivemos mais uma semana com o mercado de café trabalhando em baixa. Dia após dia as cotações são pressionadas “ante a expectativa de uma ampla oferta de cafés do Brasil”, frase que nas últimas semanas se tornou um bordão para um grande número de analistas e operadores internacionais.


Como dissemos em nosso último boletim, o mercado trabalha com números de produção no Brasil superiores aos das estimativas oficiais brasileiras.

Consideram que ano após ano a produção brasileira de café tem ficado acima do divulgado pelo governo brasileiro. É necessário o MAPA se pronunciar sobre esta divergência, que traz sérios prejuízos aos cafeicultores nacionais. É preciso dar transparência e credibilidade aos números de produção divulgados pelo MAPA.


Também é urgente aprovar um leilão de opções de venda de café ao governo federal. Se o MAPA não agir com rapidez, os cafeicultores perderão um ano de seu trabalho e o Brasil receita cambial, transferindo renda para outros mercados.


Até o dia 23, os embarques de maio estavam em 1.171.823 sacas de café arábica e 82.609 sacas de café conillon, somando 1.254.432 sacas de café verde, mais 60.081 sacas de café solúvel, contra 1.342.090 sacas no mesmo dia de abril. Até o dia 23, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em maio totalizavam 1.907.678 sacas, contra 2.076.520 sacas no mesmo dia do mês anterior.


A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 17, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 24, caiu nos contratos para entrega em julho próximo, 965 pontos ou US$ 12,76 (R$ 26,14) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em julho próximo na ICE fecharam no dia 17 a R$ 369,06 /saca e hoje, dia 24 a R$ 344,73 saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em julho, a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 280 pontos. No mercado semiparalisado de hoje, são as seguintes cotações nominais por saca, para os cafés verdes, do tipo 6 para melhor, safra 2012/2013, condição porta de armazém:

R$300/310,00 - CEREJA DESCASCADO – (CD), BEM PREPARADO.
R$300/310,00 - FINOS A EXTRAFINOS – MOGIANA E MINAS.
R$290/300,00 - BOA QUALIDADE – DUROS, BEM PREPARADOS.
R$280/285,00 - DUROS COM XÍCARAS MAIS FRACAS.
R$275/280,00 - RIADOS.
R$270/275,00 - RIO.
R$265/270,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: DURA.
R$260/265,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: RIADAS.

                                                         DÓLAR COMERCIAL DE SEXTA-FEIRA: R$ 2,0480 PARA COMPRA.

Fonte:
Escritório Carvalhaes

0 comentário