Café: Bolsa de Nova York encerra semana com baixa de 240 pontos

Publicado em 16/08/2013 19:06
882 exibições

A forte valorização do dólar em relação ao real esta semana comandou os negócios de café no Brasil. Os contratos de café na ICE Futures US fecham a semana em baixa, pressionados pela alta da moeda americana frente ao real. A onda de frio que chegou aos cafezais brasileiros na quarta-feira neutralizou parte da pressão sobre as cotações na ICE.

Uma frente fria seguida de massa de ar polar avançou pelo Brasil e a partir da quarta-feira atingiu as regiões produtoras de café do Sudeste, levando as bolsas de futuro a fecharem em alta nesse dia. A frente fria trouxe nebulosidade e chuvas fracas ao Paraná, São Paulo e sul de Minas Gerais. A massa de ar polar chegou com intensidade sobre os cafezais, mas não causou danos por conta da umidade deixada pela frente fria e também em função da Corrente de Jato (região de ventos fortes em altitude).

Esse cenário estimulou os negócios no mercado físico brasileiro, que se mostrou comprador todos os dias.

Apesar da onda de frio os produtores não se retiraram do mercado e um bom volume de café foi negociado.

O governo deve publicar na próxima semana a portaria interministerial que regulamentará os leilões de contratos de opções de venda de três milhões de sacas de café, que fazem parte do pacote de medidas de apoio à cafeicultura.

Segundo fontes, o primeiro leilão deve ser realizado até o final de agosto e estão previstos outros dois remates. Os volumes ainda não foram não definidos. O valor das opções de venda nos leilões será de R$ 343/saca, mas os avisos que serão elaborados pela CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento devem prever ágios e deságios de acordo com a qualidade dos cafés, caso o produto seja entregue ao governo na época de vencimento, em março do próximo ano. Em princípio, os leilões serão destinados apenas ao café da nova safra 2013/2014 (a informação é da Agência Estado).

O mês de agosto, auge do período de férias e calor no hemisfério norte, costuma ser mais calmo para os negócios de café. A partir de setembro os traders voltam ao mercado com mais força se preparando para o inverno, período em que o consumo cresce substancialmente.

A "Green Coffee Association" divulgou que os estoques americanos de café verde totalizaram 5.432.381 em 31 de julho de 2013. Um aumento de 230.730 sacas em relação às 5.201.651 sacas existentes em 30 de junho de 2013.

Até o dia 15, os embarques de agosto estavam em 517.934 sacas de café arábica e 16.025 sacas de café conillon, somando 533.959 sacas de café verde, mais 31.351 sacas de café solúvel, contra 515.596 sacas no mesmo dia de julho. Até o dia 15, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em agosto totalizavam 1.278.780 sacas, contra 949.584 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 9, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 16, caiu nos contratos para entrega em setembro próximo, 240 pontos ou US$ 3.18 (R$ 7.60) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em setembro próximo na ICE fecharam no dia 9 a R$ 368,71/saca e hoje, dia 16 a R$ 380,48/saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em setembro, a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 135 pontos. No mercado estável de hoje, são as seguintes cotações por saca, para os cafés verdes, do tipo
6 para melhor, safra 2013/2014, condição porta de armazém:

R$320/330,00 - CEREJA DESCASCADO – (CD), BEM PREPARADO.
R$305/315,00 - FINOS A EXTRAFINOS – MOGIANA E MINAS.
R$295/305,00 - BOA QUALIDADE – DUROS, BEM PREPARADOS.
R$280/290,00 - DUROS COM XÍCARAS MAIS FRACAS.
R$270/280,00 - RIADOS.
R$240/250,00 - RIO.
R$260/270,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: DURA.
R$255/260,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: RIADAS.

DÓLAR COMERCIAL DE SEXTA-FEIRA: R$ 2,3870 PARA COMPRA.

Fonte: Escritório Carvalhaes

0 comentário