Café: Contratos na bolsa de NY com vencimento em julho encerram semana de muita volatilidade com saldo positivo de 115 pontos

Publicado em 16/05/2014 17:50 e atualizado em 19/05/2014 10:05 829 exibições

A volatilidade das cotações do café nas bolsas de futuro impressiona, além de dificultar bastante o trabalho no mercado físico. Na ICE Futures US, a bolsa de Nova Iorque, os contratos de café com vencimento em julho próximo, em meio a fortes e rápidas oscilações, fecharam na segunda-feira com alta de 535 pontos; na terça com baixa de 230 pontos; na quarta-feira com baixa de 275 pontos; ontem com alta de 1260 pontos e hoje, sexta-feira, com baixa de 1175 pontos, encerrando a semana com saldo positivo de 115 pontos.

Tivemos esta semana a divulgação de duas esperadas estimativas da safra brasileira de café 2014/15. A primeira, do USDA – “United States Department of Agriculture”,divulgada na quarta-feira, estima a safra brasileira de café 2014/15 em 49,5 milhões de sacas beneficiadas de 60 kgs. , sendo 33,1 milhões de sacas de café arábica e 16,4 milhões de sacas de café robusta. O estoque de passagem (carry-over) é estimado em 6,32 milhões de sacas. 

A segunda estimativa, a oficial brasileira, elaborada pela CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento,foi divulgada ontem, quinta-feira, em um longo e detalhado relatório de 62 páginas. É o segundo levantamento desta safra (a CONAB realiza quatro levantamentos de campo ao longo do ano safra) e indicou que o Brasil deverá colher 44,57 milhões de sacas de 60 kgs. de café beneficiado, sendo 32,23 milhões de sacas de arábica e 12,33 milhões de sacas de robusta.

As duas estimativas, a do USDA e a da CONAB, apresentam números bem próximos para a produção brasileira de arábica 2014/2015. A CONAB chegou a 32,23 milhões de sacas e o USDA a 33,1 milhões de sacas. Uma diferença de apenas 3% ou 870 mil sacas. Já para o robusta, a CONAB estimou nossa safra em 12,33 milhões de sacas e o USDA em 16,4 milhões de sacas. Uma significativa diferença de 33% ou 4,07 milhões de sacas, que precisa ser apurada. 

Os números apresentados pelas duas entidades para a próxima safra brasileira de arábica poderão recuar ainda mais quando a colheita estiver terminada e for conhecida a renda do beneficio dos frutos colhidos. Segundo nossos agrônomos teremos este ano uma queda na renda em decorrência do longo período de seca durante os meses de verão.

A forte quebra em nossa safra de arábica, o baixo estoque de passagem, a proximidade do período de inverno e a previsão de quebra na próxima safra brasileira de café 2015 explicam a forte volatilidade nas cotações do café nas bolsas de futuro.

Foi pequeno o número de negócios entre cafeicultores e compradores esta semana no mercado físico brasileiro. Apenas algumas grandes cooperativas fizeram vendas em maior volume.

A "Green Coffee Association" divulgou que os estoques americanos de café verde totalizaram 5.237.598 em 30 de abril de 2014. Uma alta de 279.187 sacas em relação às 4.958.411 sacas existentes em 31 de março de 2014.

Até o dia 15, os embarques de maio estavam em 828.082 sacas de café arábica, mais 33.090 sacas de café conillon somando 861.172 sacas de café verde, mais 35.438 sacas de café solúvel, totalizando 896.610 sacas embarcadas, contra 943.239 sacas no mesmo dia de abril. Até o dia 15 os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em abril totalizavam 1.440.484 sacas, contra 1.433.543 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 9, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 16, subiu nos contratos para entrega em julho próximo, 115 pontos ou US$ 1,52 (R$ 3,36) por saca. Em reais, as cotações para entrega em julho próximo na ICE fecharam no dia 9 a R$ 540,29 por saca e hoje, dia 16 a R$ 541,22 por saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em julho, a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 1175 pontos.

Fonte:
Escritório Carvalhaes

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário