Feijão: As referências do nota 8,5 R$ 140, nota 8 R$ 130,00

Publicado em 08/04/2014 16:00 648 exibições

Feijão Carioca: No decorrer do dia de ontem a maior parte dos produtores e cerealistas não tinham a certeza de que o governo vai entrar com AGF, e se vai, com quanto. Não está claro ainda se o objetivo do Ministério da Agricultura é ajudar os produtores ou tratar de ter feijão em estoque para fazer política. Com certeza, sem alimentos a candidata do governo fica sem um forte argumento para “conquistar” votos. Durante o dia foram registrados negócios próximos à Brasília no valor de R$ 140/145, contudo os produtores forçam os R$ 150 para o feijão 8,5/9.  No Rio Grande do Sul bem como em Santa Catarina as ofertas dificilmente são melhores do que o nota 8. No RS, SC, PR e MG continuam poucos negócios por R$ 115/125. Já do 7,5 para baixo praticamente não ocorreram negociações, pois a expectativa é com respeito ao preço mínimo de R$ 95. Alguns cerealistas acham que poucos serão os lotes que irão passar pela severa classificação do feijão que poderá ser aceito para AGF. Nessa terça feira na bolsinha houve entrada de cerca de 21.000 sacos com sobras de 18.000 as 07h30min. As referências foram para o nota 8,5 R$ 140,00, nota 8 R$ 130,00 e nota 7 R$ 105,00. Apenas 3 carretas de feijões 9 ou melhor foram negociados por R$ 160.  

Feijão Preto: O mercado segue com baixa demanda e os preços mesmo com pouca oferta ficam entre R$ 160 e R$ 170 FOB produtores e cerealistas no Paraná. No Rio Grande do Sul as referências foram R$ 170/175 FOB fazenda. Nas capitais da região sudeste a referência é R$ 180/185.

Confira mais informações sobre o mercado no site da Correpar

Tags:
Fonte:
Correpar

0 comentário