Feijão: A expectativa é de que o novo patamar de R$ 200,00 seja o fundo do poço

Publicado em 05/10/2016 18:09 e atualizado em 05/10/2016 18:52
430 exibições
O novo patamar de preços ao redor de R$ 200,00 é decepcionante.

Muitos produtores têm contas a pagar e outros tantos estão pouco informados que o mercado de pouca demanda leva a quedas.

No final da tarde, falava-se em R$ 220,00/230,00, em Minas Gerais e em Goiás e também na região de Guaíra, em São Paulo. No norte do Mato Grosso, R$ 200,00.

Espera-se que seja o fundo do poço. Se será ou não depende da volta do consumidor ao varejo.

Ao encontrar preços abaixo dos R$ 10,00, espera-se que haja necessidade de reposições.

Em São Paulo, na região do Brás, houve oferta de 15.000 sacas e sobravam 6.000 às 7h30. Os preços praticados foram: R$ 275,00 para o nota 9,5/9, R$ 260,00 para o nota 8,5 e R$ 250,00 para o nota 8.

Para saber mais sobre o mercado de feijão acesse o site do IBRAFE
Tags:
Fonte: IBRAFE

1 comentário

  • carlo meloni sao paulo - SP

    Tenho discutido muito esse assunto..., o NA publicou um artigo cuja analise de mercado considerava somente o lado da OFERTA, aconselhando o produtor a nao vender para poder segurar o patamar de R$ 350,00/saca... Hoje muitos agricultores colhem feijao com colheitadeira. Mas o feijao e a batata só vao para o mercado interno e, por causa disso, tem negocios feitos com preços diferentes dos da soja , do milho e do trigo etc. (O motivo é que esses dois produtos, feijão e batata, não terem preços negociados em bolsas a futuro -- NR).

    0
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Hoje 06/10 parece que o preço estabilizou.

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Sr. Carlo, para um produto agrícola se tornar uma commodity, deve ser cumpridos alguns pré requisitos. O termo é usado sobretudo com referência aos produtos de base em estado bruto (matérias-primas) ou com pequeno grau de industrialização, de qualidade quase uniforme, produzidos em grandes quantidades e por diferentes produtores. Estes produtos "in natura", cultivados ou de extração mineral, podem ser estocados por determinado período sem perda significativa de qualidade, dependendo de sua conservação. Possuem cotação e negociabilidade globais, utilizando bolsas de mercadorias. Para ser negociado em bolsas deve ter uma constância de oferta, enfim são "n" particularidades que só os especialistas de mercado podem nos esclarecer... Ops !!!... citei a palavra mágica... MERCADO !!!

      0
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      HOJE 17/10 A SACO DE FEIJAO POSTO NA BOLSINHA DO BRAS ESTA' ENTRE 190 E 200/SACO

      0