Análise de mercado do feijão

Publicado em 08/06/2010 16:01 630 exibições

FEIJÃO CARIOCA -  7h30 - Os produtores do Paraná não perderam grandes volumes com as geadas do último final de semana. As lavouras encontram-se em fase final de colheita e, consequentemente, o que estava no campo, em sua grande maioria, já estava maduro. Ontem, nas fontes do interior de SP,  houve oferta de feijão nota 9 / 9,5, com umidade,  a R$ 125 . Em Minas e Goiás continua oscilando entre R$ 125 e R$ 130. A expectativa é de que esta semana  haja maior interesse por parte dos supermercados, o que pode manter ou até mesmo aquecer um pouco as cotações de feijão nota 9  e acima. Nesta madrugada houve oferta de cerca de 13.500 sacas e foram vendidas por volta de 7h30 cerca de 8 mil sacas. Os preços de referência foram os seguintes: nota 9, R$158;  nota 8,5, 145; nota 8, R$ 128  e nota 7, R$95.      

 

FEIJÃO PRETO -   7h30 - Mercado de feijão preto continua estável. Dificuldade muito grande de encontrar feijão de qualidade no mercado interno e o preço ao produtor está por volta de R$ 75 por saca. Já da Argentina a oferta continua em US$ 730/740. Neste patamar ainda assim está muito difícil de  acontecer um volume de negócios maior por conta do dólar que está muito alto. Diversos compradores brasileiros aguardam alguma melhora nas condições de compra para somente então entrarem mais firmes nas negociações. Surgem também diversas ofertas de feijão em Mato Grosso do Sul. Feijão posto Rio Grande do Sul chega por volta de R$ 98/100 desde a Argentina. 
Feijão Preto 10h - Percebe-se nesta manhã uma boa procura nas fontes por feijão preto nacional que esta   sendo vendido neste  momento por até R$ 77. 


Estamos de Olho: Os produtores das regiões Sul e Sudeste estão consternados com a falta de consideração da Conab. Alegam que colocaram o feijão no armazém designado pelo órgão, emitiram a nota fiscal, classificaram o produto, ensacaram e, agora, passados 45 e até 60 dias vem a noticia de que este feijão não será pago. Como ficam as despesas de adequação do produto. Quem paga o prejuízo? Como ficam os financiamentos devidos pelo produtor ao Banco do Brasil? O feijão carioca que na época já não era claro agora está mais escuro e vale menos ainda. O Ibrafe está encaminhando via Câmara Setorial um ofício cobrando um posicionamento do Ministério da Agricultura sobre o fato.

 

mercado atacadista

 

Preço da Saca de 60 kg

Clique aqui para ampliar!

 

preco pago ao produtor

Tags:
Fonte:
Correpar

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário