Análise de mercado do feijão

Publicado em 09/06/2010 15:55 669 exibições

FEIJÃO CARIOCA  - 7h30 -Percebe-se que esta semana o mercado está bem mais  comprador, porém, pouca mudança no patamar dos preços praticados em  função de que há um pouco mais de oferta em diversos pontos. Paraná encerrando a comercialização com poucos lotes, mas atende  ainda a demanda interna do estado. Os preços estão estáveis entre R$  110/115 para nota 8,5 acima. Alguns negócios ocorreram ontem no interior de São Paulo, já com feijão  um  pouco mais seco, onde esporadicamente surgem negócios de R$ 145/150 no campo para lotes  9/9,5. Em Minas e Goiás negócios rodam entre R$ 125/135 com oferta  ajustada a demanda. A reposição dos supermercados segue sem um ritmo  mais intenso, porém constante. Nesta madrugada,  a oferta em São Paulo  ficou ao redor de 15 mil sacas com sobra de 5 mil sacas por volta  das 7h30. Os preços alcançados foram 9 R$ 158, 8,5 R$ 143 e  8 R $ 130.

 

FEIJÃO PRETO -  7h30 - Ontem foi dia de maior volume de negócios no  mercado. Enquanto a Argentina se ajusta a oferta dos brasileiros  em  US$ 730 o mercado interno vai dando vazão ao feijão  garimpado no Paraná por R$ 75 FOB. Trabalhou-se ontem CIF São Paulo  ao  redor de R$ 97/98. O mesmo valor foi praticado em diversos negócios  para o Rio Grande do Sul. O Preços do fardo no Rio de Janeiro segue muito distinto  entre as marcas “talibãs”  - que colocam qualquer mercadoria no pacote -  ao  redor de R$ 50 e o outro pelotão que não vê como vender abaixo de R$ 55/58.
Feijão Preto 14h30 - Mercado firme com dificuldades de se encontrar feijão de qualidade. Alguns negocios nesta manha até as 12h ao redor de R$ 78 FOB Paraná. Poucos negocios de feijão argentino na froneira US$ 730. Aumenta a pressão dos argentinos o que pode significar breve queda de preços.    

 
Estamos de Olho: Está dando sinais de reação toda a movimentação da cadeia produtiva do feijão, entre eles o Ibrafe, para que a Conab  aceite e pague o preço mínimo pelos feijões que estão depositados  em seus armazéns. A grande repercussão na imprensa sobre o assunto em conjunto com ofícios enviados aos departamentos competentes teve o efeito. A Conab orientau que se aguarde um pouco  um novo estudo sobre o assunto. Desejamos, agora, que o bom senso  retorne aos burocratas de Brasília e honrem a palavra dada  e decretos  assinados a este respeito. 


 
mercado atacadista

 

Preço da Saca de 60 kg

Clique aqui para ampliar!

 

preco pago ao produtor

Tags:
Fonte:
Correpar

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário