Feijão: baixa dos preços não beneficia absolutamente a ninguém

Publicado em 29/07/2010 15:55 819 exibições

FEIJÃO CARIOCA 7H30 -  Seja em São Paulo ou Recife, pouco importa. Os empacotadores estão tão assustados quanto os produtores. Esta baixa dos preços não beneficia absolutamente a ninguém. O consumidor vinha pagando sem reclamar pelo preço final do feijão. Os supermercados entendem que o preço mais alto desde que praticado por todos é ótimo, afinal o que importa é o faturamento alto propiciado pelo feijão acima de R$ 100. Ontem, alguns compradores testaram os vendedores em R$ 85 e neste níveis a grande maioria  preferiu esperar. Em alguns locais nas fontes foi difícil achar vendedores,  mesmo a R$ 90/95 os produtores sumiram. Nesta madrugada,  em São Paulo,  novamente a oferta foi de sobras de ontem e não chegou a ser maior do  que  7.300   sacas e a venda foi de  3.200 sacas. Os preços praticados foram de R$ 110 para nota 9, R$ 95 parnota 8 e R$85 para nota 7.


FEIJÃO PRETO 7H30- Com a proximidade do momento em que a Bolívia poderá passar a ofertar para o Brasil é eminente um reajuste do feijão argentino para baixo. Espera-se que mesmo com os embarques para outros países venha a ser determinante a rapidez das operações com o Brasil. Ontem, no Rio Grande do Sul, ao produtor manteve-se os níveis de R$ 75/80. O mesmo valor para os produtores do Paraná. CIF São Paulo e Rio de Janeiro o nível de negócios foi baixo em volume e os preços não ultrapassaram R$ 90.

Fique de olho -  Os empacotadores tem bons motivos para se preocupar após as colocações do Mapa sobre a responsabilidade que será imputada a indústria pelos resíduos químicos a serem detectados nas amostragens de feijão a partir do ano que vem. Antes disso, em caráter diagnóstico,  o Ministério desenvolverá trabalho de analise estatística dos feijões empacotados a fim de se ter idéia da gravidade da situação. O Idec,  em revista que circula este mês,  voltou a chamar atenção para o fato de que o feijão apresenta resíduos de produtos químicos não recomendados. Uma das soluções sugeridas é de que o responsável técnico pela produção forneça atestado que garanta a aplicação dos produtos recomendados para a cultura. Em breve os produtores poderão também ser penalizados. Cabe ao setor contribuir com suas observações,  tão logo volte o documento final para consulta pública,  a fim de que as responsabilidades seja equanimente distribuídas.

mercado atacadista

 

Preço da Saca de 60 kg

Clique aqui para ampliar!

 

preco ao produtor

Tags:
Fonte:
Correpar

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário