Preço do leite cai 4% em novembro

Publicado em 29/11/2011 11:01 2156 exibições
Com o início da safra, o preço pago pelo leite ao produtor em novembro (referente à produção entregue em outubro) caiu 3,9% (3,5 centavos por litro) em relação ao mês anterior, ficando à média de R$ 0,8542/litro – a média é ponderada pela produção dos estados de RS, PR, SC, SP, MG, GO e BA. Entre os fatores que pressionaram as cotações estão o aumento da produção no Sudeste e Centro-Oeste do País e a queda de preços de leite longa vida. Nem a região Sul, onde a oferta diminuiu, conseguiu evitar recuo de preços. Em relação a novembro/10, o preço médio do leite está 12,7% superior em termos reais, ou seja, já descontada a inflação do período (IPCA).

O Índice de Captação de Leite calculado pelo Cepea (ICAP-Leite) ficou praticamente estável entre setembro e outubro, com leve recuo de 0,15%, considerando-se a média ponderada pelos mesmos sete estados. Na região Sul (média ponderada dos três estados), houve queda de 3,5% na captação de leite em função do final da safra de inverno. Já em Goiás, o aumento do índice foi de 4,3%; em São Paulo, de 2,5% e em Minas Gerais, de 1,8%, todos estimulados pela volta das chuvas. O ICAP-Leite/Cepea ficou em patamar 1,4% abaixo do registrado no mesmo período do ano passado. Comparando-se o agregado dos últimos 12 meses com o dos 12 meses anteriores, houve queda de 2,4%.

Segundo levantamento diário feito pelo Cepea, a média mensal do leite UHT no atacado paulista até o dia 28 de novembro era de R$ 1,79/litro (incluindo frete e impostos), 5% (ou quase 10 centavos por litro) abaixo da média de outubro. Segundo agentes consultados pelo Cepea, a queda ocorreu devido ao aumento da oferta de matéria-prima com a chegada da safra e também pela menor procura a partir de setembro em função dos preços relativamente elevados. No comparativo com o mesmo período do ano passado, a média de novembro está cerca de 10% superior, sem se considerar a inflação. O levantamento de preços do UHT é feito diariamente e tem o apoio da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras) e CBCL (Confederação Brasileira de Cooperativas de Laticínios).

No mercado de leite “spot” (comercialização de leite cru entre empresas/cooperativas), houve, em média, queda entre 5% e 7% nos preços negociados entre a primeira e a segunda quinzenas de novembro.

Para o pagamento de dezembro (referente à produção entregue em novembro), 83% dos representantes de laticínios/cooperativas entrevistados (responsáveis por 95% do volume amostrado) esperam queda de preços. Para os 17% restantes (respondem por 5% do volume da amostra), deve haver estabilidade de preços. Nenhum dos agentes consultados, portanto, acredita em alta de preços para o próximo pagamento.

AO PRODUTOR – Em novembro, a maior queda de preço do leite ao produtor ocorreu no Rio Grande do Sul, de 6,8% (5,6 centavos por litro) em relação a outubro. O valor médio no estado gaúcho foi de R$ 0,7665/litro. Em Santa Catarina, a queda foi de 5,2% (4,6 centavos por litro), com média de R$ 0,8354/litro. Já no Paraná, a redução foi menos intensa, de 1,1% (quase 1 centavo por litro) no período, a R$ 0,8594/litro (valor bruto).

Em Goiás, houve redução significativa dos preços, de 6% (ou 5,6 centavos por litro), com média de R$ 0,8769/litro. No centro-goiano, a queda chegou a 8,8% (8,7 centavos por litro) frente ao mês passado. Vale ressaltar que o estado apresentou o maior aumento no volume captado de leite em outubro. Em Minas Gerais, houve queda de 4% (3,6 centavos por litro), a R$ 0,8606/litro. Em São Paulo, o recuo foi de 2% (1,9 centavo por litro), com o litro a R$ 0,9208. Na Bahia, a média foi de R$ 0,7431/litro, leve queda de 0,7% (0,5 centavo por litro) frente a outubro.

Tags:
Fonte:
Cepea

0 comentário