Soja: Preços encerram a terça-feira em forte queda na CBOT com ausência de novidades positivas

Publicado em 29/09/2010 07:30 e atualizado em 29/09/2010 08:44
508 exibições
Pressão de oferta de soja recém colhida nos EUA, chuvas no sul do Brasil e ausência de novas compras chinesas da oleaginosa derrubam cotações futuras de soja, em Chicago.
Clique aqui para ampliar!

Comentário:

Nesta terça-feira, vinte e oito de setembro de 2010, as cotações futuras de soja relativas aos três primeiros vencimentos fecharam com sólidas perdas, na Bolsa Mercantil de Chicago (CME), conforme a tabela acima. Após recentes e intensos rallies de alta no pregão futuro da oleaginosa na citada bolsa, esse retrocesso foi atribuído por traders e analistas daquela praça internacional à pressão de oferta de colheita da safra 2010/2011 norte-americana de soja e à ausência de novas notícias de cunho fundamentalista.

Os participantes do mercado futuro em Chicago contavam especialmente com mais um comunicado, nesta data, de parte do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), dando conta de vendas adicionais e expressivas da oleaginosa dos EUA para a China, em continuidade ao que vinha ocorrendo nas últimas sessões futuras da commodity em apreço. Tal comunicado não veio. E, além disso, as previsões climáticas para as regiões norte-americanas produtoras de soja refletem condições quase ideais para o rápido progresso da recentemente iniciada colheita da oleaginosa, no referido país.

A fraqueza do Dólar dos EUA perante o Euro e outras moedas conversíveis não impediu o forte recuo das cotações futuras de soja nesta terça-feira. Por sua vez, o USDA informou nesta terça-feira que levantamento da intensidade de uso de terminais graneleiros, silos portuários, armazéns e terminais de carregamento portuário de navios  revelou  que tais facilidades estão ocupadas em até 62 % de sua capacidade de conter grãos, ou seja, 1 % a mais do que o percentual apurado na semana passada e 8 % a mais do que no ano passado, nesta mesma época.

Com respeito à incerteza pertinente às condições climáticas no Brasil, os receios dos traders de soja em Chicago foram em grande parte eliminados pelas recentes e expressivas precipitações pluviométricas no sul/sudeste do Brasil, ao passo que há previsões de boas chuvas para a região centro-oeste de nosso país, incluído o Mato Grosso, a partir de dois de outubro de 2010.
Tags:
Fonte: SojaNet

Nenhum comentário