Soja: Clima favorável nos EUA e no Brasil pressiona cotações em Chicago nesta quarta-feira

Publicado em 30/09/2010 07:22
519 exibições
Clique aqui para ampliar!

Comentário:

Nesta quarta-feira, vinte e nove de setembro de 2010, as cotações futuras de soja relativas aos três primeiros vencimentos fecharam com perdas significativas, na Bolsa Mercantil de Chicago (CME), conforme a tabela acima. Traders afirmaram que a aceleração do ritmo de colheita de soja nos EUA associada a níveis crescentes de umidade nos solos de regiões produtoras de soja no Brasil concorreram para contrabalançar os efeitos positivos identificados com a desvalorização do Dólar norte-americano perante o Euro e outras moedas conversíveis e com a acentuada valorização dos preços futuros de petróleo.

Durante a última madrugada, a China anunciou que deverá liberar quantidade não especificada de óleo de soja de seus estoques reguladores. Essa notícia foi recebida como algo negativa, em Chicago. Nesta quarta-feira, em operações do spread comprado milho versus vendido soja, as cotações futuras da oleaginosa registraram substancial perda por comparação à acentuada valorização dos preços futuros do milho. Estima-se que nesta quarta-feira os fundos de especulação tenham vendido cerca de 6.000 lotes futuros (816.000 toneladas) de soja.

O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) por sua vez anunciou, na manhã desta quarta-feira, a venda de 165.000 toneladas de soja de origem norte-americana para a China e isso foi encarado como importante fator de suporte, no início da sessão futura da oleaginosa, nesta data.
Tags:
Fonte: SojaNet

Nenhum comentário