Trigo: Preços fecham a semana praticamente estáveis no Paraná e Rio Grande do Sul, mas pressão negativa se acentua

Publicado em 15/10/2010 17:14
722 exibições
Após o comportamento instável da semana passada, em que foram registradas leves quedas nas cotações no Rio Grande do Sul e Santa Catarina e pequena alta no Paraná, os preços do trigo voltou a apresentar desempenho semanal distintos conforme a região considerada, mas de forma geral continua mostrando estabilidade nos dois principais pólos de produção do país, Paraná e Rio Grande do Sul. Com a colheita no primeiro estado encaminhando-se para o final e a do segundo sendo iniciada, as perspectivas já não são tão positivas como eram há dois meses atrás, quando a safra brasileira começava a ser retirada do campo. Além do pequeno recuo dos preços no mercado internacional acumulado no fechamento dos meses de agosto e setembro, o dólar já se desvalorizou 3,3% desde o início do ano, e atingiu nestes últimos dias o patamar mais baixo desde 2008. Além disso, como acontece naturalmente neste período do ano, a colheita simultânea no Paraguai a entrada em menor volume, mais ainda assim presente de produto remanescente da safra passada do Uruguai acabam gerando uma forte competição com o trigo nacional e consequentemente voltando a pressionar os preços após o período de valorização que vínhamos acompanhando. Os primeiros lotes de produto colhidos no Paraná beneficiaram-se e muito do auge da valorização do trigo nas Bolsas e também da forte demanda dos moinhos, o que não se observa agora, em que os preços FOB estão inferiores ao daquele período em todo o mundo e os moinhos voltaram a regular a demanda após o acúmulo de fartos estoques. A situação poderia estar mais favorável aos agricultores no que se refere à competição com o trigo paraguaio se a qualidade que se esperava tivesse sido alcançada em termos de força e estabilidade do grão, garantindo que um produto com aptidão melhoradora conseguisse preços mais elevados até que o mínimo fixado pelo governo em R$ 29,97/ton. Porém, muitos lotes analisados pelos moinhos apresentaram deficiência nestes parâmetros e os preços acabaram se estagnando em R$ 480,00 e já encontram dificuldade para manter-se assim, especialmente porque o produto importado do Paraguai CIF Brasil está com preços até 15% menores dependendo do destino do produto aqui no Brasil. Já o trigo da safra. No Paraná, o preço médio estadual caiu 0,5% esta semana, passando de RS 25,82/sc registrado na sexta-feira passada para os atuais R$ 25,68/sc, sendo que esta pequena variação ocorreu em função de mudanças pontuais dos preços, mantendo-se os valores na maioria das regiões estável. No Rio Grande do Sul o comportamento semanal das cotações não foi diferente e apenas alguns centavos fizeram com que a média de preços subisse 0,1% na semana para R$ 21,67 no balcão gaúcho. Em São Paulo os preços também permanecem invariáveis em R$ 29,00/sc há praticamente um mês, enquanto que em Santa Catarina houve a única alteração mais expressiva, com alta de 2,3% e preço registrado hoje de R$ 25,83/sc.
Tags:
Fonte: AF News

Nenhum comentário