Publicidade

Soja: Mercado marcado por incertezas e operando de forma técnica

Publicado em 19/12/2012 16:36 733 exibições
De olho na área de $14,70 para o contrato de Janeiro na Soja. US$14,72 ¾ representa a importante média móvel de 200 dias, assim como US$14,71 ¾ representa nível importante de Fibonacci no gráfico.

Até agora, esta área mostrou forte suporte durante a pressão da manhã desta terça-feira.  O mercado tentou três vezes romper a área e não conseguiu.

A pressão se deu com o cancelamento de mais de 300.000 toneladas de carregamentos de soja por parte da China – adicionada a fatores técnicos, já que o mercado novamente não conseguiu sustentar altas acima dos $15.

O volume de operações durante esta época do ano é geralmente pequeno, então qualquer volume maior move o mercado, tanto para baixo como para cima.

Clique aqui para ampliar!

Fiquem de olho nos US$14,70 (baixa da sessão até agora).  Se o mercado romper esta baixa, o próximo alvo seria a área entre US$14,45 e US$14,60 com a média móvel de 20 dias a US$ 14,58 e outro importante ponto Fibonacci nos US$14,48.

Lembrando também que sexta-feira é dia de vencimento das opções de Janeiro no CBOT e pontos com maiores volumes em aberto geralmente atraem preços, principalmente com mercado operando em volume baixo como está.

Os pontos de $15, $14,40 e $14 são os pontos com maior Open Interest (contratos abertos) para Janeiro.
 
Muita indefinição no mercado de soja no momento...

Nem os Hermanos sabem como interpretar as reais consequências da enorme quantidade de chuvas.  As estimativas de safra por lá variam entre 45 e 58 MTs!!!

Alguns dizem que ainda há tempo para uma safra acima de 55 MTs, outros dizem que as chuvas excessivas atrasarão demais o plantio e que a área de produção será bem menor que as estimativas em torno de 19 milhões de hectares.
 
Eu trabalho hoje com um número em torno de 53 MTs para a Argentina, 82-83 para o BR, 8,5 para o PY e 4,5 para Bolívia e Uruguay... com um total em torno dos 148 MTs estimados pelo USDA para a safra total Sul Americana.

O problema é...
Ainda é cedo demais para ter-se qualquer tipo de convicção sobre o número final de produção na América do Sul. 
Ou seja, estimativas de produção ainda são pura especulação.
 
O clima até agora tem se apresentado benéfico por sua maior parte para o Brasil e Paraguai e problemático para a Argentina devido ao excesso de chuvas nos últimos meses...

Saberemos muito mais sobre clima, estimativas de produção e QUANTO e ATÉ QUANDO a China continuará comprando Soja Americana á partir de meados de Janeiro...
 
Até lá, mercado deverá continuar operando dentro do patamar que vem operando desde início de Novembro...

Clique aqui para ampliar!

Ainda assim, a mentalidade do mercado no momento é de compras em baixas... mesmo que não consiga romper com convicção a área dos $15.
 
A indefinição do mercado traz suporte á preços, pois dentro da situação atual, o mercado não pode “incentivar” maior demanda através de preços muito baixos...

Estamos em um quadro de estoques mundiais históricamente baixos, e com uma demanda aquecida e três quebras consecutivas de safra... o mercado no momento se mostra disposto á “pagar para ver” como a safra se desenvolverá aí na América do Sul.

Até que o mercado tenha esta convicção de que a produção será acima de 145 MTs na América do Sul, baixas serão compradas...

E não é nem preciso dizer o que acontecerá com o mercado se por um acaso a produção começar á ser cortada de forma significativa na América do Sul... é só fazer a conta:  DEMANDA AQUECIDA + POSSÍVEL QUEBRA DE SAFRA = ???
Tags:
Fonte:
PHDerivativos

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário