ACOMPANHAMENTO SAFRA 2013/2014 …sem perder a esperança.

Publicado em 27/12/2013 09:57 1125 exibições

Diante do que pode ver, seguindo as determinações do Manejo Integrado de Pragas, pouco há de se fazer em relação aos tratos culturais, uma vez que as plantas apresentam sanidade satisfatória, e baixo índice de ataque de pragas. 

 

 

Em meio as ondas causadas pelos ventos nas folhas da soja…Dá pra se dizer que esta é a “PRAIA” de muitos jovens brasileiros ligados ao AGRONEGÓCIO, e não pode ser diferente para o técnico agropecuário Lucas Vernier Fries (estudante do curso de agronomia), que tem aproveitado seus dias de “férias” para intensificar o ACOMPANHAMENTO da lavoura de soja na propriedade da família no noroeste do Estado do Paraná… As imagens são de uma área se soja plantada em 25 de setembro, e seguindo o MIP, até o momento, tudo controlado em três pulverizações na aplicações de defensivos. (fazendo uso dos produtos: um pós emergente no controle das ervas daninhas,  dois inseticidas no combate ao ataque das lagartas falsa medideira (Peseudoplusia includens), 1 inseticida no controle de percevejos, dois fungicidas, para doenças de final de ciclo e outra no controle/preventiva contra a ferrugem)…Tudo que foi aplicado, esta dentro de uma média de defensivos usados no manejo das lavoura.

Com baixo volume pluviométrico, no entanto com chuvas bem distribuídas ao longo do período vegetativo, as plantas apresentam um bom desenvolvimento e boa formação de vagens…Ao meio da lavoura, visto de cima, tudo parece estar transcorrendo normalmente, o verde das plantas se intensificam à luz do sol, destacando as vagens em fase de granação…

 

 

Porém o volume pluviométrico de cada chuva foi bem abaixo da média, comprometendo aos poucos a reserva hídrica do solo. Agora com a chegada do verão, as altas temperaturas e a baixa umidade relativa do ar...

Neste dia 24/12, apenas 10 dias de sol após a ultima chuva (10 mm), as plantas já apresentam sinais de perdas do potencial produtivo…

Quando paramos para observar a parte inferior das plantas, nos deparamos com as consequências da falta de umidade no solo, desfolha, queda de vagens, …bainhas e ou canivetes como muitos amigos produtores identificam…

 

 

Acompanhando a lavoura no dia a dia,  já podemos sinalizar perdas devido a baixa umidade do solo, que já compromete cerca de 15% a 20 % sobre uma produção inicialmente prevista em 4.500 quilos por hectare (75 sacas por hectare)…

No céu, há nuvens de esperança, e seguindo as previsões de ocorrência de chuvas da SOMAR METEOROLOGIA, os produtores do noroeste do Paraná já começam a se preocupar, uma vez que as chuvas em forma de pancadas e de baixo volume pluviométrico, podem agravar as perdas a cada dia que passa…principalmente às margens das áreas de floresta onde as plantas de soja sofrem com a competição da umidade do solo:

 

 

Assim seguimos mais um ano safra, acompanhando atenciosamente as previsões climáticas sem perder a esperança diante das intempéries climáticas…Que muitas vezes nos amedronta, mas não nos tira a coragem… Não percamos a FÉ, porque  a qualquer nuvem que avistamos no horizonte…tudo pode acontecer…ao menos chuvas o suficiente para garantirmos os custos da produção já que não temos SEGURO AGRÍCOLA que nos garanta renda…Nem mesmo o tal FUNDO CATÁSTROFE aprovado em “LEI” no ano de 2010…Lei sancionada e proclamada em ano eleitoral, e protelada sem qualquer normativa até os dias de hoje…nada nos garante. 

…Nestas horas vale algumas palavras do nosso amigo, que as usa como lema do NOTICIAS AGRÍCOLAS…Persista! …Siga firme!…Não desista!…e vamos em frente…

Unidos em uma só família, …O NATAL NOS TRANSMITE O RENASCER PARA A VIDA…O AGRONEGÓCIO SUSTENTA A TODOS, …2014 é um novo ano…E o ano seguinte, sempre é, e sempre será a esperança de todo produtor rural.

Por Valdir Edemar Fries – Produtor rural em Itambé – Pr.

 

 

Tags:
Fonte:
Valdir Fries

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário