Publicidade

Frutas e verduras melhoram a longevidade do homem e quem os produz?, por José Luiz Tejon

Publicado em 09/04/2014 15:58 408 exibições
José Luiz Tejon Megido é Diretor Vice Presidente de Comunicação do Conselho Cientifico para a Agricultura Sustentável (CCAS), Dirige o núcleo de agronegócio da ESPM, Comentarista da Rede Estadão-ESPN.

Pesquisas revelam que comer frutas e verduras melhora em 42% a longevidade da vida, diminui a chance de câncer e ataques cardíacos, além de contribuir para a diminuição de peso. Uma chamada dieta do homem da idade da pedra, 2 + 5, quer dizer duas porções de frutas e mais cinco de verduras ao dia, faz um enorme bem para a saúde humana e, quem são esses produtores de hortifruti no Brasil?

A propriedade média é de 10 hectares e o grosso da produção encontra-se ao largo das grandes rodovias. Sucessão é um drama, pois um em cada cinco produtores dizem não ter sucessores de suas propriedades, 23,5% entre analfabetos e primário incompleto, 73% com formação só do primário; 99% são brasileiros, 76% fazem a contabilidade eles mesmos, 17% não faz cálculo de custos e só 8% dizem conhecer as leis; 80% dos produtores de hortifruti ganham até R$ 60 mil por ano. Somente 2,5% ganham mais de R$ 360 mil/ano.

Essa é uma pesquisa conduzida pelo Sebrae no Brasil, recentemente. Esses são os produtores que geram cerca de 32% do faturamento dos supermercados brasileiros. E agora, a Abras (Associação Brasileira de Supermercados) lançou o programa Rama (Rastreabilidade e Monitoramento dos Alimentos) exatamente para elevar a segurança, a qualidade e evolução desse segmento vital para a saúde humana, e para a viabilidade das micro e pequenas propriedades rurais do país. Uma nova geração de jovens e pessoas bem preparadas deverá nos próximos anos ser atraída para esse novo campo, onde hortifrutis serão cada vez mais valorizados.

Sobre o CCAS

Publicidade

O Conselho Científico para Agricultura Sustentável- CCAS é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto.

O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõem a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas.

A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado à disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça.

Tags:
Fonte:
CCAS

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • João Alves da Fonseca Paracatu - MG

    Caro José Luis Tejon,nasci os dentes dentro de uma horta,até hoje tenho a atividade com meu principal negócio(planto e exporto abóboras),embora tenha optado pela lógica da diversificação e me dói bastante quando encontro com vários colegas de infância que se foram da roça para trabalharem como mão-de-obra não qualificada na cidade,tudo isto se chama falta de planejamento ,para viver no campo e do campo é preciso ,além da vocação ,de condições que permitam uma vida digna,educação,saúde e tecnologias ,coisas que raramente foram oferecidas aos brasileiros nascidos no meio rural...Saudações mineiras,uai!

    0