Brasil está no limite da crise cambial apesar das reservas positivas

Publicado em 15/10/2010 10:34 e atualizado em 15/10/2010 14:36
2012 exibições
Segundo o economista Ricardo Bergamini, mesmo com o saldo de reservas de US$ 261,3 bilhões o Brasil está no limite da crise cambial em função do déficit nas transações correntes. Segundp ele, 
o Brasil está sendo financiado pelos investimentos externos em função dos juros altos, não pelo seu comércio exterior. Qualquer susto do mercado financeiro a explosão será inevitável.

O próximo governo, seja qual for, terá que resolver a difícil dicotomia da política externa brasileira, qual seja: juros altos atraem investimentos externos que valorizam o real, diminuindo a competição dos produtos brasileiros no exterior, e consequentemente aumentando os déficits nas transações correntes. 

-- "Confesso que não gostaria de estar na pele do próximo governo", completou o economista.

Nota: Em 13/10/10 as reservas estavam em US$ 280,1 bilhões.

Saiba porque preocupa a super valorização do real

por EDUARDO CUCOLO, da Sucursal da Folha em Brasília


O aumento na entrada de dólares no Brasil e a valorização da moeda brasileira voltaram a preocupar o governo nos últimos meses. As principais consequências desse movimento têm sido o aumento das importações, a queda nas vendas do Brasil para o exterior e o aumento no deficit externo do país.

O dólar hoje se desvaloriza em relação a quase todas as moedas internacionais, devido ao excesso de dinheiro que o governo dos EUA vem colocando no mercado para estimular a recuperação da sua economia.

Diante disso, outros governos atuam para evitar uma valorização excessiva das suas moedas, uma invasão de produtos estrangeiros e a queda nas suas exportações.

No caso do Brasil, a principais medidas para frear a entrada de dólares tem sido o aumento nas compras de moeda estrangeira e de impostos para investimentos estrangeiros em títulos públicos. Até agora, no entanto, nenhuma dessas medidas surtiu efeito.

O governo tem dito que essa entrada de dinheiro seria o "o preço do sucesso" do país, que vai crescer acima da média mundial e se torno uma economia mais segura. Mas esse movimento reflete também o fato de o Brasil ter uma das taxas de juros mais altas do mundo, em parte, por causa do aumento nos gastos públicos.

Outro fator importante que determina a queda do dólar são as apostas do mercado financeiro na desvalorização da moeda. Hoje, a maior parte das instituições financeiras está "vendida" no mercado de câmbio. É uma operação que equivale a vender a moeda agora para recomprá-la mais barata no futuro.

Além disso, investidores buscam dinheiro no exterior, onde as taxas são mais baixas, para aplicar no Brasil em reais. Assim, ganham não só com os juros, mas também com a queda do dólar.

O mercado aguarda agora novas medidas do governo. Entre as possibilidades, estão restrições para operações com dólar, quarentena para reduzir investimentos estrangeiros especulativos e novas mudanças tributárias.

No longo prazo, no entanto, todos destacam que é preciso adotar medidas de redução do gasto público para permitir uma queda maior dos juros.

Confiram  a composição das Reservas em Moeda Estrangeira Em Poder do Banco Central do Brasil Fonte BCB

Base: De Janeiro de 2003 até Agosto de 2010 

Balanço de Pagamentos- Fonte BCB Base US$ bilhões

Itens

2003/2009

Até 08l/10

2003/2010

% PIB

Exportação

936,9

126,1

1.063,0

11,79

Importação

(697,5)

(114,4)

(811,9)

(9,01)

Saldo/Comercial

239,4

11,7

251,1

2,78

Viagens Líquidas

(15,9)

(6,0)

(21,9)

(0,24)

Transportes

(21,1)

(3,9)

(25,0)

(0,28)

Lucro/Dividendos

(122,3)

(19,3)

(141,6)

(1,57)

Juros Líquidos

(75,3)

(6,7)

(82,0)

(0,91)

Outros

(36,0)

(8,9)

(44,9)

(0,50)

Saldo/Serviços

(270,6)

(44,8)

(315,4)

(3,50)

Trans/Unilaterais

25,6

2,0

27,6

0,31

Sal. T. Correntes

(5,6)

(31,1)

(36,7)

(0,41)

Amortizações

(227,6)

(20,9)

(248,5)

(2,75)

N. Financiamento

(233,2)

(52,0)

(285,2)

(3,16)

Invest. Líquido

199,1

55,2

254,3

2,81

Novos Emprést.

216,8

17,7

234,5

2,61

Saldo BP

182,7

20,9

203,6

2,26



Movimentação das Reservas de 01/01/03 até 31/08/10

Movimentação

US$ Bilhões

Saldo das reservas em 31/12/02

37,8

Saldo das transações correntes do balanço de pagamentos

(36,7)

Saldo líquido entre captação e amortização de empréstimos externos

(14,0)

Saldo líquido dos investimentos externos diretos

171,3

Saldo líquido dos investimentos externos indiretos

83,0

Saldo de empréstimo ao FMI

19,9

Saldo das reservas em 31/08/10

261,3



Tags:
Fonte: Ricardo Bergamini

2 comentários

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Nota: Em 13/10/10 as reservas estavam em US$ 280,1 bilhões. É curioso como todos sorriem com uma ponta de orgulho diante da mintanha de dólares nas nossas Reservas, ADQUIRIDOS com dinheiro emprestado. FHC deixou o Governo quando o rasiultinha uma dívida de R$ 647 bilhões. Em oito [8] anos Lula acrescentou mais de R$ 1,0 TRILHÃO nesta dívida.... significa que nosso crescimento é "ôco" ou seja, tipo rabo de cavalo - cresce para baixo... Crescer fazendo empréstimos qualquer um pode, mas um dia explode.

    0
  • Gerd Hans Schurt Cidade Gaúcha - PR

    Vejo que estamos morando em um castelo de areia

    0