Boletim de Monitoramento Climático

Publicado em 27/09/2010 10:37 e atualizado em 27/09/2010 15:18
5693 exibições
Brasil: Primavera

A Primavera começa com uma condição climática bem típica da estação. Diferente do que se observou durante todo o inverno, as frentes frias nessa última semana além do Sul do Brasil também atuaram sobre o Sudeste do Brasil.

Os maiores volumes de chuva da semana continuaram concentrados no norte do Rio Grande do Sul e sul de Santa Catarina (ver figura abaixo lado esquerdo). Porém o grande destaque da semana foi às chuvas no Paraná e em Mato Grosso do Sul, que interrompeu um período seco e com isso oferece condições para o plantio das lavouras de verão, em especial a lavoura de soja.
Já sobre a Região Sudeste, os maiores volumes de chuva se concentraram sobre São Paulo e sul de Minas Gerais, beneficiando as culturas de cana-de-acúcar, laranja e café. Porém, grande parte de Minas Gerais, Espírito Santo e no Rio de Janeiro, ainda sofrem com a escassez de chuva e os índices de água disponível no solo (ver figura abaixo lado direito) continuam críticos.

A semana também foi totalmente seca em Mato Grosso, Goiás e no interior da Região Nordeste, que continuam sofrendo com o longo período seco e as altas temperaturas.

Clique aqui para ampliar!


Clique aqui para ampliar!

Previsão de CHUVA para o Brasil: Chegada da Primavera confirma mudança no padrão climático

Com a chegada da Primavera (23/9) aos poucos se observa uma mudança no padrão climático em relação ao observado ao longo de todo o inverno.

Nos mapas abaixo se pode observar que para os próximos 15 dias, as frentes frias atuam mais entre o litoral do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro e com isso favorecem a organização de chuvas no interior desses estados e também no interior de Minas Gerais, especialmente no sul do estado e no Triângulo Mineiro. Nos próximos dias continuam as chuvas no Paraná e em Mato Grosso do Sul, o que favorecem o plantio da lavoura de soja e milho.

A presença da frente fria sobre o Sudeste, aos pouco também favorece a organização da convecção tropical (nuvens de chuvas) sobre o interior da Região Centro-Oeste. No decorrer desta semana já devem ocorrer algumas chuvas isoladas no sul de Goiás e em Mato Grosso. Porém as chuvas ainda devem ser de forma muito isoladas e insuficientes para oferecer condições ideais para plantio. Para essa região a expectativa é que as chuvas retornem de forma mais freqüente e com condições para plantio após o dia 10 de outubro.

 Para a Bahia, Maranhão, Piauí e no Tocantins o retorno das chuvas ainda deve retardar um pouco mais. A expectativa é de alguns episódios de chuvas isoladas na segunda quinzena de outubro, porém as condições de plantio (solo úmido) devem ocorrer de forma gradual e variando de uma região para outra, mas de um modo geral é que se consolide somente no decorrer de novembro.
Nas próximas semanas as chuvas diminuem no Rio Grande do Sul, o que favorece o plantio das lavouras de verão, especialmente se soja e arroz, cujo plantio já estava sendo atrapalhado pelo excesso de chuvas em setembro.

Clique aqui para ampliar!






Clique aqui para ampliar!

Clique aqui para ampliar!

Clique aqui para ampliar!


LAVOURA AMERICANA: Clima favorece fase final e colheita das lavouras Americanas.
A última semana de setembro deve ser seca e sem previsão de frio extremo e risco de ocorrência de geadas nas lavouras do Meio-oeste Americano, favorecendo assim a finalização e o processo de colheita. No entanto, para esta semana deve chover forte na faixa leste dos Estados Unidos (ver figura abaixo lado esquerdo), muito provavelmente devido à propagação de sistemas (tempestades tropicais ou furacões) provenientes do Oceano Atlântico.
Inclusive a tendência para o início de outubro é de pouca chuva sobre o Meio-oeste americano, porém a partir da segunda semana, há previsão de queda acentuada da temperatura, inclusive com risco de formação de geada, principalmente nas regiões produtoras localizadas mais ao norte, próximas da fronteira com o Canadá.

ARGENTINA: O mês de setembro confirma um padrão típico da Primavera, com chuvas sobre grande parte do território Argentino, incluindo as principais regiões produtoras de milho e soja (ver figura abaixo lado direito).
Para a primeira quinzena de outubro a tendência é de pouca chuva e temperaturas em gradual elevação. Lembrando que as chuvas desse período são importantes para uma reposição e regularização dos níveis de umidade do solo, que são fatores importantes e determinantes para as condições de plantio que ocorrem entre outubro e novembro (1º plantio e dezembro (2º plantio).

Clique aqui para ampliar!

Clique aqui para ampliar!
Tags:
Fonte: Somar Meteorologia

Nenhum comentário