Chuvas concentram-se sobre o Sudeste e Centro-Oeste e no sul do Nordeste do Brasil, enquanto diminuem no Sul

Publicado em 25/10/2010 13:19
2371 exibições

BRASIL: PRIMAVERA
Na última semana, as chuvas se concentraram sobre o Sudeste, Centro-Oeste e o Norte do Brasil, mesmo assim ainda de forma muito irregular e mal distribuída.
Os maiores volumes de chuva da semana passada se concentraram entre Rondônia, Mato Grosso, sul do Pará, Tocantins e interior da Região Nordeste (ver figura abaixo lado esquerdo).
Enquanto no Sul do Brasil se observa uma redução das chuvas, que já afeta  a lavoura de arroz do Rio Grande do Sul, que em algumas regiões os produtores estão tendo que dar um banho (irrigar) na lavoura para a planta nascer.
Os índices de Capacidade Hídrica do Solo (ver figura abaixo lado direito) refletem o resultado das chuvas das últimas semanas e mostram uma recuperação em Goiás e Mato Grosso, enquanto se manteve uma boa condição de plantio das lavouras de verão no Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e sul de Minas Gerais.

 

precipitacao

 

capacidade hidrica

 

Previsão de CHUVA para o Brasil: Chuvas concentram-se sobre o Sudeste e Centro-Oeste e no sul do Nordeste do Brasil, enquanto diminuem no Sul.
Nos mapas abaixo se pode observar que para os próximos 15 dias, o padrão não muda muito em relação ao observado na última semana, e as frentes frias atuam mais entre o Sudeste, Centro-Oeste e chegam ao Nordeste do Brasil. No entanto, como é típico nesse período de transição entre o período seco (inverno) e o período chuvoso (verão) as chuvas em geral ainda ocorrem de forma irregulares e mal distribuídas.
Já no Sul do Brasil, se observa nas próximas semanas uma substancial redução das chuvas, o que está um pouco fora do padrão, já que a Primavera é um período de boas chuvas. Essa mudança de padrão no Sul pode-se atribuir a presença do fenômeno La Niña e contrasta com observado no ano passado (2009) quando a região enfrentou períodos bastantes chuvosos devido ao El Niño. Além disso, as temperaturas nos próximas semanas continuam baixas, sobretudo a temperatura noturna/madrugada, com valore abaixo de 10C, o que atrapalha diretamente na fase de germinação das sementes.

pentada 1

 

pentada 2

 

pentada 3

 

ARGENTINA: A semana passada manteve um padrão de pouca chuva sobre grande parte do território Argentino. Os maiores volumes de chuva se concentraram sobre a Província de Buenos Aires e no extremo norte do País.
Inclusive os resultados do Balanço Hídrico até o dia 20 de outubro (ver figura abaixo lado direito) mostram duas condições bem distintas. Enquanto a faixa leste apresenta uma condição de solo ótima e até ligeiramente mais úmido, sobre a região central da Argentina se observa um solo mais seco e com indícios do começo de uma seca, que inclusive atinge algumas áreas  produtoras de milho e soja.
A previsão para esta semana não muda muito em relação ao observado na última semana, e permanece a previsão de pouca chuva sobre o território Argentino (ver figura abaixo lado esquerdo). Inclusive esse padrão de pouca chuva deve permanecer pelo menos até os dez primeiros dias de novembro.  As temperaturas nas próximas semanas oscilam bastantes, mas no geral se mantêm baixas, principalmente as temperaturas noturnas, que se por um lado contribuem para diminuir a evapotranspiração, por outro lado retardam a elevação da temperatura do solo e conseqüentemente as condições de plantio.

pentada final

 

mapa

Tags:
Fonte: Somar Meteorologia

1 comentário

  • ANTONIO LOBO Belo Horizonte - MG

    Gostaria de solicitar um comentário mais específico sobre as previsões referentes ao Norte de Minas, região importante da pecuária mineira e onde convivemos continuamente com grande expectativa relacionadas às secas, veranicos, etc.

    0