DA REDAÇÃO: Chuvas devem continuar no sul do país com previsão de nova frente fria

Publicado em 09/08/2011 16:48 e atualizado em 09/08/2011 17:45 478 exibições
Clima: nova frente fria chega ao RS na próxima sexta-feira, provocando chuvas de até 50mm em algumas regiões. Quedas bruscas na temperatura, com possibilidades de geadas, só devem voltar a acontecer no final de agosto.
A frente fria já se desloca do sul do país e a previsão é de que as chuvas já diminuam na região nos próximos dias. Nas últimas 24 horas, os acumulados foram bastante significativos, principalmente na região serrana de Santa Catarina. Em Itajaí- SC, o volume atingiu 80 milímetros e em Rio do Campo-SC 74 mm no período. Para esta quarta-feira, os registros mais significativos devem se concentrar na região leste da região sul. Ainda pode chover também no leste do Paraná e Santa Catarina, porém em volumes menores.

Nesta terça-feira, a frente fria já avança para o sudeste, onde já há maior nebulosidade em várias áreas principalmente de São Paulo. Nos próximos dias, as chuvas devem ficar mais concentradas no sul e sudeste do Estado, com previsão de volumes mais intensos na região do Vale do Ribeira. Nas áreas do norte de São Paulo não há previsão de chuvas.

A partir de amanhã, dia 10, a expectativa é de que a frente fria já se desloque para o oceano, podendo gerar maior umidade na região leste do sudeste e na zona da Mata mineira. As chuvas devem ser leves nessas localidades, acumulando um total máximo de 10 milímetros.

Na próxima sexta-feira, dia 12, uma nova frente fria que avança pelo sul do país deve trazer ainda mais chuvas, principalmente na região de Campana Gaúcha, no Rio Grande do Sul, com expectativa de volumes acumulados de até 50 milímetros. Porém, a possibilidade de novas geadas para a região só voltam com a frente fria prevista para avançar pelo continente no final do mês de agosto.

No interior da região nordeste a situação ainda é de tempo seco, que já se prolonga há meses. Na parte leste e norte da área há expectativa para pancadas de chuvas nos próximos dias, porém em volumes baixos.

La Niña

A possibilidade da volta do fenômeno prevista para o final deste ano, é a preocupação da maioria dos agricultores. O La Niña corresponde ao resfriamento anômalo das águas superficiais do Pacífico Equatorial Central alterando o comportamento climático. Fabiana Weycamp, da ClimaTempo, explica que, de acordo com estudos, o fenômeno não deve ser tão intenso a ponto de gerar prejuízos significativos para as lavouras. De acordo com a climatologista, não há previsão de seca drástica para o sul do Brasil, porém a constância das chuvas pode ficar irregular. Em alguns meses, os volumes podem ficar abaixo do normal. 

Tags:
Por:
Aleksander Horta e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário