Fala Produtor

  • Maria Augusta Rezende Campo Verde - MT 13/09/2019 10:24

    Nem nos meus maiores devaneios poderia imaginar a arquitetura desse plano esquerdista sobre esse subsolo tão rico... Mas tinha uma desconfiança, a partir dessas demarcações de terras indígenas e desocupações violentas, como aconteceu (e vi de perto) na reserva da Siuá Missu, MT... Ainda ano passado dizia pra minha família que se o JMB não fosse presidente, poderíamos nos preparar e mudar de país, pensei no Paraguai-PY, mas veio a vitoria do JMB, graças a Deus... E quando, ainda na campanha, o JMB começou a falar das riquezas minerais do norte brasileiro, e de tantas outras questões escondidas dos brasileiros, minha ficha foi caindo.... caindo.... e agora abrindo essas "caixas pretas" do Brasil, eu me assusto e aterrorizo com cada revelação e fico aliviada, confiante e agradecida a Deus pela vitória do JMB e as atitudes que ele, os ministros e os governadores vem tomando diante das nossas questões sensíveis.

    Agradeço e parabenizo ao JBO pela reportagem.

    7
    • Getulio Coutinho

      Mas o povo não ganha nada quando destroem a floresta e matam/adoecem/ os índios e enchem tudo de boi e soja. O povo continua na miséria. As vilinhas no Paraná e grandes lavouras de um dono só. Agora exigir que os que não cuidam da propriedade e tem 1 pé de boi por alqueire, pasto ralo e erodido, pisado, aí não, é propriedade particular. É sagrada. Hããã, raça de víboras, tomar dos pobres, dos índios, dos bichos. Quem invade terra, mato, etc não é pequeno proprietário.

      96
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Quem tem vontade de trabalhar nunca fica na miseria, viu Getulio !!!

      5
    • Waldomiro Bednarchuk municipio Mallet - PR

      Por que não vão atrás de quem compra essa madeira de desmatamento ilegal, ... se duvidar boa parte dessa madeira vai para a Europa e outros países que mais gritam contra o desmatamento.

      2
    • JOSE ANTONIO BUSO NETO DOURADOS - MS

      O que está sendo revelado agora pelo NA, há 38 anos já haviam ONGs associadas a grupos internacionais com apenas um interesse: exploração de nossas riquezas.... não por nos brasileiros, mas por estrangeiros... Um amigo meu, que trabalhou e vivenciou nesta região a participação no antigo projeto Jari, relatou absurdos de grupos internacionais que bloqueavam a exploração de nossas empresas por paises e grupos estrangeiros ... mas agora, até que em enfim a casa caiu e está sendo revelada a bandalheira... Espero que esta situação seja resolvida o mais rápido possível, em prol de nossa nação.

      2
    • Getulio Coutinho

      Projeto Jari. 1970, dos militares. Há, tá explicado. Dia militares também a lei que impedia vender farelo de soja para brasileiros. Era para exportar. Vê se os EE UU exportam petróleo crú. Não só refinados. Nós vendemos matéria prima e compramos industrializados. Igual no Brasil colônia.

      21
  • Carlos Rodrigues 13/09/2019 03:54

    E do outro lado do negocio estão milhares de produtores na miséria... essa é a verdadeira noticia...

    1
  • Rafael Antonio Tauffer Passo Fundo - RS 12/09/2019 19:39

    Parabéns pela reportagem João Batista,e desse jeito logo vai virar piloto.

    3
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC 12/09/2019 17:43

    Venho falando a tempos isso, https://br.investing.com/news/commodities-news/exportacao-do-agronegocio-do-brasil-cai-11-em-agosto-com-menores-embarques-de-soja-683626

    9
  • Tiago Zoz Cassilândia - PR 12/09/2019 17:30

    Parabéns João Batista Olivi, suas matérias são ótimas, e utilizo-as na sala de aula do curso de agronomia onde trabalho.

    A população precisa saber a verdadeira intenção da esquerda no Brasil.

    Estamos tentando conscientizar pelo menos os futuros agronômos que formamos sobre como a agricultor brasileiro é herói. Pois não é facil produzir e diariamente ser massacrado pela mídia de esquerda.

    Parabéns mais uma vez pelo belo trabalho!!!

    5
    • Sebastião Ferreira Santos Fátima do Sul - MS

      E ainda tem um comboio de vagabundos corruptos aliados desse crápula (Lula)... deveriam também estar atrás das grades como ele, ao invés de estar fazendo passeatas nas ruas pedindo a sua soltura. E mais, querem que para boa parte da população considere que tudo que estamos vivendo hoje (dificuldades financeiras, saúde precária e cortes em áreas importantes como da educação) sejam atribuidas ao atual governo. Incitados por órgãos da imprensa suja, encabeçada pela Rede Globo, Folha de São Paulo, Yahoo e outros mais, o povo alienado por esses grupos de cabeça fechada, deveria acordar para a realidade.

      3
  • VINICIUS CAETANO MARTIN Curitiba - PR 12/09/2019 16:13

    Felizmente ja vemos um movimento de grandes proprietários de terras em direção à diminuição e até eliminação desta dependência de herbicidas como única maneira para controle de plantas . Negar um problema não ajuda a resolve-lo, temos sim que constantemente buscar novas tecnologias para oferecer aos consumidores alimentos com qualidade de fato. Eu cito o trabalho da Fazenda da Toca que apresenta um avanço e pioneirismo que ja mereceu vários prêmios internacionais.

    30
    • Luiz Alfredo Viganó Marmeleiro - PR

      O que você sugere Vinicius no lugar do glifosato? A princípio uma molécula usada há mais de 40 anos em todo o mundo e que tem milhares de trabalhos que corroboram sua segurança, e poucos que "provam" efeitos deletérios ao ser humano ou aos animais; além disso é barato e fabricado em dezenas de países por multiplas empresas, sem custo de royalties, sendo acessível a todos os agricultores; é hidrossolúvel e de manejo simplificado, tendo como maior problema seu pH baixo o que a torna corrosivo, tanto que quem tenta se suicidar tomando glifosato sobre danos graves no esôfago, pela ação de contato e não pela toxicidade per si; Em contato com o solo é rapidamente degradado em compostos inativos, o que torna quase impossível a lixiviação e contaminação do lençol freático. Sem o glifosato as alternativas são ou produtos mais caros e mais tóxicos ou o antigo "cultivo mínimo" com uso de grades, tudo isso vai contra a uma agricultura sustentável e viável economicamente, sem falar nas misturas de produtos que se fazia na época do soja convencional, o que vai elevar o consumo de agroquímicos e mais uma vez acender a luz amarela na mídia. Ai dá-lhe reportagem no Fantastico demonizando os "campeões mundiais" no uso de defensivos! http://portal.anvisa.gov.br/documents/111215/117833/Nota+t%C3%A9cnica+23+de+2018+-+Glifosato/faac89d6-d8b6-4d8c-8460-90889819aaf7

      3
    • VINICIUS CAETANO MARTIN Curitiba - PR

      Que bom o seu questionamento...eu coloco algumas posições um pouco polêmicas ( ou muito conforme a pessoa) para buscar justamente estes questionamentos. A menos que eu esteja enganado...ou tenha sido enganado...quando fiz agronomia existem outras técnicas que podem substituir o glifosato ou outro qualquer herbicida, mas que foram esquecidas pelo agricultor. Vou contar uma história do que aconteceu no curso de agronomia quando eu estava fazendo o curso. Não vou citar nomes para preservar as pessoas mas foi assim: Na minha turma de 60 e tantos alunos, tinhamos eu e outro colega apenas que estavamos fazendo o curso para trabalhar com agricultura orgânica ou não convencional, os outros tantos se interessavam pela agricultura convencional mesmo. Então tínhamos aula inclusive de Agricultura Geral e uso de agrotoxicos onde estudavamos as culturas e os manejos...todos com a complementação do uso de agrotóxicos...normalmente. Nosso professor era defensor ferrenho do uso dos agrotóxicos e muito sutilmente nos alfinetava, mas com todo respeito para que eu e este colega colocássemos a nossa posição em relação ao manejo alternativo que faríamos...o que ele contrapunha sabiamente mostrando as vantagens de se fazer o controle quimico, e ficava em nós sempre aquele sentimento de que nosso manejo não poderia ser aplicado em grandes extensões de terra.

      Então, na última aula pratica de campo daquele ano, ele nos levou em uma grande área com aveia preta plantada e ainda verde e como prova final do semestre pediu para que todos fizessem, oralmente, a melhor recomendação para manejo daquela aveia para a cultura seguinte. O meu colega que pensava como eu, me questionou Vina (meu apelido) e agora...prova final da disciplina de agrotóxicos...eu acho que a aveia é uma cultura que tem um ciclo de inverno e o ciclo acaba e ela morre sozinha,,,mas se eu disser isso ele vai ferrar com a gente. Eu respondi: Eu sei disso...mas quer saber? Ele perguntou o melhor manejo...a gente ja tem nota pra passar mesmo...vamos falar que não precisa aplicar nada. E foi o que fizemos. O meu nome começa com V e o do meu colega com R ...ficamos para o final...todos os nossos colegas sem exceção, responderam receitando manejo com herbicida e somente nós não....o que provocou até algumas risadas. Ali tive a melhor aula de minha vida. Este professor diante da turma, falou que o melhor manejo naquela situação era não usar herbicida. E que levássemos aquilo para nossa vida....

      Vejo que as justificativas para o uso se resumem a aplicar produtos ainda piores?, então estou fazendo o certo aplicando um mais bonzinho...mas será que as alternativa são só estas? Se você está me pedindo para eu sugerir um "produto comercial" para evitar o uso do glifosato, eu não vou ter o que te oferecer... manejar passa por conhecer muito bem a propriedade, intercalar cultivos de adubação que façam cobertura de solo, muitas vezes diminuindo a pressão de três safras por ano...mudar de cultura e sair do triunvirato milho trigo soja, diminuir espaçamento, caprichar na semeadura melhorando o stand, subsolar e até fazendo uma catação manual quando a infestação é pouca. A reação em cadeia de beneficios quando se para de usar agrotóxicos, por outro lado...ja esta sendo comprovada por quem faz. Em muitos casos, até que se aprenda a conhecer sua area...e a melhor maneira de se fazer o manejo...vai se levando com o que se tem....mas é um vício...quando se faz uma produção usando menos e até eliminando completamente o uso de qualquer agroquimico, da uma alegria muito grande ver aquele caminhão saindo abarrotado e eu ainda com um bom dinheiro no bolso sem nem ter recebido ainda pela carga.

      20
    • Gilberto Rossetto Brianorte - MT

      Vinicius ... se boa parte dos produtores aceitassem tuas ideias, com certeza iria ocorrer o seguinte: preço do soja e trigo R$-500,00 a saca, milho R$ 300,00 e boa parte da população viraria um "risco/sisco" de tão magras pela falta de alimentação. É esse o preço que o mundo terá que pagar? Acho que não devemos brincar com o que está dando certo. Quando eu nasci um velho tinha 50 anos, hoje o idoso tem 80 anos, ... será que os quimicos fizeram tão mal ao homem?

      2
    • Getulio Coutinho

      O problema doutor Vinícius é dinheiro.

      Sou pequeno produtor e engenheiro químico. Estudei à noite na USP, trabalhava de dia - para esclarecer alguns leitores. O problema é dinheiro. Se a soja for a 300, milho a 100. Vão é ficar contente. A questão é que para produzir tanto, destroem outros tantos. O desinformado não sabe que o GLF é proibido em parte da Europa ? E produzir para matar a fome ? Não, para vender. O importante é o que sobra, não o valor bruto. E falar em produzir alimentos e Riqueza para o Brasil é balela. Riqueza para meia dúzia.

      10
    • VINICIUS CAETANO MARTIN Curitiba - PR

      Getúlio, eu classifico que hoje temos dois caminhos claros a seguir: ou nos esforçamos para, de fato, mudar a forma de produzir na pratica, mesmo fazendo pequenos pilotos dentro de nossa propriedade para aprender como nos relacionar com o nosso ambiente, ou seguimos como engrenagens da agricultura convencional e nos acomodamos para ver no que vai dar... Para um pequeno agricultor, fazer isso é mais facil porque ele conhece e participa mais dos processos produtivos..., o desafio é fazer isso acontecer na grande propriedade que vai continuar existindo, ... então que pelo menos se tenha uma alternativa, pois o que temos que oferecer são alternativas.... Eu estou fazendo um esforço para não entrar nos méritos ideologicos, monetários, politicos e até religiosos desta questão, porque neste momento vejo que a população clama por alimentos com menos ou nenhum agrotóxicos e o meio ambiente está sendo predado de forma muito irresponsável.... Sempre acreditei que dá pra ser produtor de forma mais racional e hoje vejo muitas iniciativas que mostram isso como a agricultura sintropica, a agricultura biointensiva, a agrofloresta, os sistemas diversos de integração... então, para aquelas pessoas que ainda tem como objetivo ser agricultor mais inteligente, esse é o meu recado.. Se conseguir que esta semente caia em solo bom, vamos diminuir o tempo que temos para nos adequar, e então as coisas poderão melhorar.

      1
    • Orlando Jung Anapolis - GO

      VINICIUS, ja que a população clama por alimentos com menos ou nenhum agrotoxico, vejo uma oportunidade de ouro para os produtores que quiserem seguir esta alternativa menos "toxica", dando mais uma alternativa para o consumidor, que paga o bônus por um alimento ecologico...

      0
    • VINICIUS CAETANO MARTIN Curitiba - PR

      Orlando, a oportunidade é muito boa...eu estou tentando passar aos que me leem que, o simples ato de se mudar de opinião e passar a realizar ações de agricultura sintropica na propriedade já da um status de comprometimento com o meio ambiente...e isso muda muita coisa...e com a adoção destas praticas de agrofloresta um leque de possibilidades de ganho se apresentam...é interessante como isso funciona.

      1
  • VINICIUS CAETANO MARTIN Curitiba - PR 12/09/2019 14:11

    Eu acabei lendo esta reportagem somente agora, mas parabenizo o professor Favas Neves porque acredito que a alternativa ao agronegócio predador é o agronegócio inteligente... estou divulgando repetidamente algumas tecnicas de uso da terra compativel com a manutenção da floresta e fico muito à vontade em dizer que o estado brasileiro tem de acordar...e nosso presidente tem que ser incentivado a dar um troco moral nas tentativas de intervenção na patria brasileira, mas não com guerra e sim promovendo um modelo de ocupação mais racional e colocando fortemente a presença do estado na região amazonica , levando a agricultura sintropica, a agrofloresta, as integrações agrosilvopastoris... e principalmente envolver as pessoas locais neste processo.

    12
  • Jaber Felippe Paranavaí - PR 12/09/2019 10:59

    Quem seria responsável por informações sobre a expansão, o governo ou a Federação da Agricultura? Como disse o Marco Antônio, é necessário conhecer toda a logística de aquisição e venda de produtos, conhecer os preços de frete, da terra. Também é necessário saber a composição da terra, se é argilosa ou arenito.

    1
  • marco antonio stahlschmidt Araquari - SC 12/09/2019 09:59

    .....voces ja´ouviram falar em ´´blefe´´´.....

    1
  • Luiz Alfredo Viganó Marmeleiro - PR 12/09/2019 08:34

    Não me surpreende essa decisão apertada de 3x2 a favor dos agricultores! O ativismo "social" do judiciário é hoje um dos maiores riscos que o agronegócio tem no país, basta ver as ações do MPF em relação aos agroquímicos. E se você, colega agropecuarista, sofrer autuações por qualquer órgão ambiental, como eu fui pelo IBAMA, vocês verão o calvário que é o judiciário: derrota certa em todas as instâncias, onde os julgadores nos consideram iguais aos criminosos da pior espécie... Sinceramente desanima ser produtor no Brasil!!

    2
  • Telmo Heinen Formosa - GO 12/09/2019 08:12

    Como dizem os americanos, você só pode falar de "boca cheia" e convicção sobre qualquer tema ou assunto quando tiver a vivência do mesmo! Parabéns meu amigo João Batista!

    1
  • Ezequiel Calgaro Mariópolis - PR 11/09/2019 22:23

    Excelente reportagem João Batista, nos confins do Brasil nos mostrando as riquezas desta terra abençoada por Deus, cobiçada por muitos, mas explorada por poucos.

    1
    • carlo meloni sao paulo - SP

      E' muito trabalhoso ir ate' a fonte da noticia, mas ele vai, jornalista exemplar...

      1
    • Luiz Alfredo Viganó Marmeleiro - PR

      Putz, tem sujeito no "fala produtor" que negativa até elogio ao trabalho do João Batista? vai ser recalcado assim nas passeatas do "Lula Livre"...

      3
  • Valdoel Da Silva Junior Guaxupé - MG 11/09/2019 18:37

    Café: Quebra de no mínimo 20% para colheita do ano que vem!!!

    1
  • Luiz Alberto Ribas Prestes Maringá - PR 11/09/2019 18:11

    Concordo plenamente com vc Fabiano , nenhum deles tem coragem de definir o que está acontecendo. A real produção da safra. Todos ficam nessa , se, pode ser , e nada definem.

    2
  • FABIANO DALL ASTA Canarana - MT 11/09/2019 17:19

    Esses analistas são muito específicos mesmo. Usam termos do tipo pode , se , tem chance , e se .... aí fica facil.

    3