Safra gaúcha já está comprometida com pesadas perdas no RS

Publicado em 19/12/2011 22:37 290 exibições
Embora a agropecuária corresponda a menos de 10% da composição do chamado PIB do RS, o complexo agrobusiness (produção, comercialização e industrialização) soma 45% do bolo.

. O que acontece no campo gaúcho, impacta toda a economia estadual para o bem e para o mal.

. 2012 será um mau ano para a economia do RS, apesar das previsões otimistas da FEE. 

. Há falta de chuvas e só o arroz é irrigado no Estado, mas mesmo com irrigação, falta água. 

. É por isto que são desanimadoras as perspectivas para a próxima safra de grãos deste verão, porque La Niña veio para valer, a seca é inclemente e as perdas de produção já são irreversíveis e poderão ficar piores.

. O diretor da Brasoja, Antonio Sartori, que na semana passada viajou mil quilômetros pelo interior, apenas para visitar as lavouras e conversar com dirigentes de cooperativas e empresas da área do agrobusiness, resumiu da seguinte forma o que viu:

- A última safra somou o recorde 29,5 milhões de toneladas, mas esta que se aproxima já registra uma quebra de 5,1 milhões de toneladas em relação a anterior. Isto é irreversível. Já está perdido. A coisa só não ficará pior, caso chova.

. Mas não vai chover.

. Em Tupanciretã, constatou Antonio Sartori, não chove há 20 dias. É o maior produtor de soja do RS. 

. O 8º Distrito de Meteorologia divulgou nesta segunda suas projeções para janeiro, fevereiro e março, e elas não são nem um pouco otimistas. Choverá abaixo do mínimo necessário para que se complete o processo de polinização e crescimento das plantas. 

. Por grão em ordem de importância, examine qual foi a produção da última safra e qual é a projeção para esta que começa, em milhões de toneladas:

- Soja: 12 (10)
- Milho: 5,8 (4)
- Arroz: 9 (8)
- Trigo: 2,4 (2)
- Outros: 530 mil (400 mil)

. Examine como foram as safras de grãos, em cada um dos últimos governos:

- Governo Tarso Genro (2011) ? 29 
- Governo Yeda (2007 a 2010) ? 23 / 22,2 / 22,1 e 25.
- Governo Rigotto (2003 a 2006) ? 20,7 / 17,7 / 12,8 e 20,4.
- Governo Olívio (1999 a 2002) ? 18,1 / 17,3 / 19,5 e 14,6.


2012 fechará com crescimento pífio do PIB nacional. Número será de apenas 2,8%

Ao fechar 2011 com crescimento de apenas 2,8% para o PIB, o governo Dilma Roussef pode se lamentar pelo seu primeiro ano de fracasso econômico. 

. Ela passou o primeiro semestre todo com projeções de 4,5%. 

. O País só não passa por fase de recessão técnica (dois trimestres seguidos de crescimento abaixo de zero), porque o PIB do quarto trimestre ainda não foi divulgado.

. O mau resultado decorre de um ano desastroso para o setor industrial. 

-  O governo acha que 2012 será bem diferente, mas sua projeção de crescimento do PIB é bem modesta (4% a 5%). E  isto se a Europa não quebrar.

Tags:
Fonte:
Blog Políbio Braga (RS)

0 comentário