Granizo provoca perda de 10 mil sacas de café em Itamogi (Sul de Minas)

Publicado em 15/01/2012 14:37 712 exibições
65 pequenos produtores perderam tudo... (informações da Cooparaiso)

As fortes chuvas de granizo que caíram no município de Itamogi (sudoeste de Minas), nos últimos 30 dias, provocaram um prejuízo de cerca de R$ 5 milhões com a perda aproximada de 10 mil sacas de café, que seria produzidas nos mil hectares atingidos.
No total, 17% da área em produção no município foi afetada, trazendo um prejuízo significativo para 65 pequenos produtores que tiveram suas lavouras afetadas.
O núcleo da Cooperativa Regional dos Cafeicultores de São Sebastião do Paraíso (Cooparaiso) no município de Itamogi, já está oferecendo suporte aos produtores.
A Cooperativa divulgou hoje um balanço inicial dos estragos. Veja abaixo:
1 – Dos seis mil hectares de área de café produzindo no município, cerca de mil hectares foram afetados nos últimos 30 dias, atingindo cerca de 17% da área em produção no município.
2 – Houve uma perda estimada de 10 mil sacas de café (são 1.000 hectares X 10 sacas por hectare).
3 – A previsão é de que o município iria colher cerca de 170 mil sacas nesta safra. As chuvas de granizo provocaram desta forma uma perda de 6% da produção, ou 10 mil sacas.
4 – 65 pequenos produtores foram atingidos de forma significativa
5 – As chuvas de granizo afetaram fortemente a economia de Itamogi, com um prejuízo estimado de 5 milhões de reais, fora os prejuízos ainda não contabilizados que os produtores terão com novos gastos com os tratos culturais.
6 – 90% do município têm sua economia baseada na lavoura cafeeira, formada integralmente por pequenos produtores.


Colômbia espera que chuvas fortes acabem em março

A Colômbia espera que o fenômeno climático La Niña, que provocou fortes chuvas pelo terceiro ano seguido e prejudicou a produção de café do país, comece a enfraquecer em fevereiro e acabe em março.
"Tivemos um volume de chuvas menor do que em 2010 e começo de 2011. Houve dias intermitentes de clima bom e chuvas", disse Maria Teresa Martinez, chefe de previsões do instituto climático oficial IDEAM.
Mas o impacto do La Niña na infraestrutura colombiana foi devastador nos últimos meses. Deslizamentos de terra provocaram dezenas de mortes, e algumas cidades da região produtora de café tiveram inundações. As fortes chuvas também afetaram a produção e distribuição de alimentos, provocando altas dos preços.
Os preços dos alimentos, que representam mais de um quarto da cesta usada para o índice de inflação, subiram 0,56% em dezembro. Em 2011 a inflação atingiu 3,73%, perto da máxima da meta do banco central de 4%, principalmente devido aos preços mais altos dos alimentos.
Entretanto, muitos analistas acreditam que a alta dos preços vai perder força conforme as chuvas diminuem. Martinez afirmou esperar que o clima volte ao normal em março.
A produção de café da Colômbia caiu em novembro 14% em relação ao mesmo mês do ano anterior, para 845 mil sacas, de acordo com a Federação Nacional de Cafeicultores. A produção total da Colômbia na temporada 2011/12, que começou em 1o de outubro, deve totalizar 8,5 milhões de sacas, estável em relação a 2010/11. Em um bom ano, o país produz 11 milhões de sacas. As informações são da Dow Jones, distribuida pela Agencia Estado).
Tags:
Fonte:
CNC

0 comentário