Governo deve atender demandas do agronegócio, assim como fez com indústria

Publicado em 05/04/2012 07:32 583 exibições
O senador Sérgio Souza (PMDB-PR) pediu, nesta quarta-feira (4), que o governo federal dê atenção às demandas do agronegócio, assim como fez em relação à indústria, com o pacote de incentivos do Plano Brasil Maior. De acordo com ele, o setor vem sustentando o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), mas os resultados deste ano podem ser menores do que os registrados em 2011.

– Enquanto o agronegócio avançou 5,73%, a economia como um todo expandiu apenas 2,7% segundo o IBGE, pela crise no setor industrial. Preços altos e volumes recordes de produção levaram o PIB do setor para R$ 942 bilhões, mesmo com o clima desfavorável principalmente nos estados do Sul – relatou.

O senador pelo Paraná lembrou que o mercado de insumos para a agropecuária, como fertilizantes e rações, cresceu 11,4% em 2011, enquanto a produção no campo, considerando lavoura e pecuária, aumentou 10,8%. Nas lavouras, o avanço foi de 12,1%, com destaque para o algodão, cujo faturamento mais que duplicou. O PIB da pecuária subiu 8,8%. A produção de frango cresceu 30% no ano passado; a de leite cresceu 10%; e a de ovos cresceu 17%.

Sérgio Souza previu, no entanto, redução nos resultados de 2012 por conta da estiagem, do preço das commodities e do baixo desempenho das indústrias ligadas ao setor. De acordo com o senador, de treze tipos de indústria, apenas três cresceram em 2011: café, óleos vegetais e alimentos.

– Penso que o agronegócio, atividade que sustentou o crescimento do produto interno brasileiro em 2011, merece todos os cuidados possíveis. Por isso exalto as necessidades e demandas do setor apresentadas como sugestão para o Plano Safra 2012/2013.

Entre essas demandas, estão mais apoio à produção, ao crédito de custeio, a programas de investimento, ao seguro agrícola, à comercialização, ao Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Num documento endereçado ao governo federal, representantes do agronegócio paranaense pediram investimentos de R$ 150 bilhões, sendo R$ 128 bilhões para a agricultura empresarial e R$ 22 bilhões para a agricultura familiar. O setor produtivo do Paraná também reivindica a redução da taxa de juros do crédito rural dos atuais 6,75% para 5,75%.

Sérgio Souza também pediu a regulamentação do Fundo de Aval, cuja garantia de renda anual vai além do Seguro Safra, por não estar atrelada à falta da produção, mas às necessidades alimentares das famílias impedidas de produzir por perda da safra. O fundo já foi aprovado pelo Congresso.

Tags:
Fonte:
Agência Senado

0 comentário