Produtores rurais conhecem técnica de agricultura sustentável

Publicado em 18/05/2012 18:54 766 exibições
Produtores rurais, técnicos da extensão rural e pesquisadores participaram de um Dia de Campo sobre Integração Lavoura–Pecuária-Floresta (ILPF). A atividade foi promovida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), nesta sexta-feira, 18 de maio, na Agrobrasília, no Parque Tecnológico Ivaldo Cenci, a 60 quilômetros de Brasília. O encontro teve como objetivo demonstrar a importância da diversificação de atividades nas propriedades rurais para reduzir os riscos climáticos.

O sistema ILPF é uma das práticas tecnológicas do Programa Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC). “É um alternativa para o agricultor. Ele produz floresta, grãos, carne e leite em uma mesma área, é uma cultura ajudando a outra, Além de promover a redução da erosão, a recuperação do solo e incrementar a renda do produtor”, explica o chefe da Divisão de Agricultura Conservacionista do Mapa, Maurício Carvalho.

O produtor agropecuário Sebastião Conrado já adota a técnica Integração Lavoura–Pecuária-Floresta e atesta os bons resultados. “É bastante vantajoso porque as pastagens ficam com mais qualidade e há um maior controle no combate as pragas que, consequentemente, resulta em mais renda e qualidade ambiental para o produtor”, completa.

Um representante do Banco do Brasil acompanhou o Dia de Campo para esclarecer como obter financiamento para adoção das técnicas incentivadas pelo ABC. “É uma oportunidade para o banco divulgar o programa ABC e tirar as dúvidas sobre o financiamento com o produtor “, disse o assessor da diretoria de Agronegócio do Banco do Brasil, Álvaro Santamaria.

O sistema iLPF contribui diretamente com a redução das emissões de CO2. As árvores das florestas plantadas ajudam a fixar CO2 da atmosfera na vegetação, na biomassa e no solo. Com a introdução no sistema do cultivo de plantas leguminosas, como é o caso da soja, as raízes dessa cultura atuam na retirada de nitrogênio da atmosfera tornando esse nutriente disponível no solo, além de contribuir na fixação de CO2 pelas raízes. No caso da pecuária, com o desenvolvimento de pastagens bem manejadas e de melhor qualidade, há uma redução da emissão de gases pelo trato digestivo do animal. Os sistemas iLPF estão entre as tecnologias que compõem os compromissos voluntários assumidos pelo Brasil na Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP 15) realizada em Copenhague (Dinamarca).
Tags:
Fonte:
Mapa

0 comentário