Soja – mercado perde a força altista, por Liones Severo

Publicado em 07/09/2012 14:04 2439 exibições

Soja –  mercado perde a  força altista.

Embora os fundamentos continuem fortes para novas elevações de

preços em busca do racionamento e  após marcar novo recorde de

preços esta semana, o mercado se acomoda e fundos começam a

desmobilizar suas posições compradas.

 

O mercado fez sua função de subir na busca de resgatar ofertas

de produtores, que foi desapontador. Então entende-se que

mesmo com continuada  escalada de alta, não haverão novas

vendas para alimentar o fluxo de produto físico. O contraponto do

mercado é testar se haverão vendas com mercado descendente.

Senão pelos produtores, com certeza pelos fundos de investimentos,

que trabalham com níveis técnicos de compra e venda, isto é, os

movimentos de preços ditam a direção à seguir/realizar.

 

Os fundos profissionais ainda carregam cerca de 27 milhões de toneladas

de soja comprada em contratos de futuros de soja na Bolsa de Chicago,

embora já tenham vendido cerca de 7 milhões de tons de soja nesta

semana, não afetou a formação altista fundamental do mercado.

 

Tecnicamente o mercado ainda aponta para uma nova alta durante este

mês de setembro, porém estamos  com preços recordes de todos os

tempos, sendo assim desconhecia a eficácia de parâmetros e medidas

históricas neste cenário inédito de preços.

 

Eu concordo com o Pedro da Djaneka, que movimentos de baixa é

uma grande oportunidade de compra, porque nosso mercado soma

´zero`, isto é, para 1 comprado tem necessariamente que ter 1 vendido,

portanto é fácil imaginar a situação dos que estão na posição vendida

desde alguns meses. Certamente não deixarão de aproveitar o momento

de resgatar sua posições.

 

Do lado fundamental da soja, continua a necessidade de preços altos

para racionar a demanda, sendo que a produção  conhecida até agora

não é suficiente para atender o consumo. Entretanto, o atual momento

sinaliza que existe uma certa acomodação dos consumidores, mesmo

nos Estados Unidos onde ultimamente os prêmios estão sob pressão

de venda e os Chineses estão se abastecendo das reservas governamentais

que serão imediatamente repostas na colheita da soja no  próximo mês

de outubro.

 

Concluindo, não espero que os preços avancem muito além dos níveis

atuais e,  mesmo se confirmando uma nova escalada de alta, não

será duradoura. Ademais, a colheita de soja americana está iniciando

e mesmo sendo 70 milhões de tons, atende o consumo no tempo de

utilização presente.

 

Como disse Júlio Cesar ao atravessar o rubicão para conquistar o

Egito e Cleópatra:

 

Alia jacta est !!!  (a sorte está lançada !!!).

 

Atenciosamente,

Liones Severo

Tags:
Fonte:
NA

1 comentário

  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    As expectativas de uma significativa elevação dos preços da soja estava fortemente alavancado no desempenho do preço do farelo de soja, o protagnista do avanço dos preços nesse tempo, seria por cobertura europeia para as demandas de final de ano e de inverno. Mas os preços do farelo não venceu as resistencias fortes acima dos dlrs 550;- p/st e teve súbto retrocesso, assim como, os preços do oleo de soja pelo anúncio de grandes estoques de óleo de palma da Malásia. Consequentemente há uma certa pressão internamente,nos preços do farelo, nos Estados Unidos.

    0