Relatório da FAO aponta apoio à agricultura como saída para a fome

Publicado em 11/10/2012 08:49 391 exibições
Redução da subnutrição desacelerou nos últimos anos, mas Brasil amplia oferta de alimentos.
No mesmo dia em que o Brasil anunciou a previsão de que colherá a maior safra agrícola de sua história em 2013, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ONU) divulgou seu relatório anual sobre insegurança alimentar, alertando para a necessidade de se investir na agricultura. Segundo o relatório “Estado de Insegurança Alimentar Mundial 2012?, o mundo tem 868 milhões de subnutridos crônicos.

“O crescimento agropecuário é particularmente eficaz na redução da fome e da má nutrição. A maior parte dos extremamente pobres depende da agricultura e de atividades relacionadas para seu sustento. O crescimento agropecuário envolvendo os pequenos proprietários, especialmente mulheres, será mais eficaz na redução da pobreza extrema e da fome quando se aumentar o retorno sobre o trabalho e a geração de emprego para os pobres”, disse o relatório da FAO.

A organização aprimorou sua metodologia de cálculo de insegurança alimentar e concluiu que houve um progresso maior do que o anteriormente estimado nos últimos 20 anos. No período de 1990 a 1992, os países em desenvolvimento tinham 980 milhões de subnutridos, ante os 852 milhões calculados para o período 2010-2012. Ainda de acordo com o estudo, o impacto dos preços internacionais dos alimentos nos mercados domésticos foi menos acentuado do que o previsto inicialmente.

Mas a FAO alerta para o fato de que “a maior parte desse progresso ocorreu antes de 2007 e 2008”. Prova disso é que o número de subnutridos nos países em desenvolvimento está estável desde o período 2007-2009, em 852 milhões de pessoas – quase 15% da população mundial. É preciso considerar, no entanto, que a população dos países em desenvolvimento está crescendo, de forma que a manutenção do número de subnutridos – ainda que em patamares inaceitáveis – significa uma parcela menor da população total passando fome.

Nesse cenário, o crescimento da produção agrícola no Brasil torna-se ainda mais importante. Nesta terça-feira (9), a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou sua primeira projeção para a safra de grãos 2012/13, prevendo um crescimento recorde da produção, para um patamar também recorde.

Segundo a Conab, ligada ao Ministério da Agricultura, o Brasil deverá colher entre 177,68 milhões e 182,27 milhões de toneladas de grãos na safra 2012/13. Esses volumes representam um crescimento entre 7,2% e 10% sobre a safra passada, que foi de 165,7 milhões de toneladas. Isso significa que o País deve acrescentar à produção mundial algo entre 11,96 milhões e 16,55 milhões de toneladas de alimentos em um só ano.

Com o mundo se esforçando para retomar a atividade econômica, a FAO alerta que apenas o crescimento econômico não é suficiente para reduzir a fome. Segundo o relatório, é preciso que os mais pobres participem do crescimento, e que o aumento da atividade econômica e agropecuária garantam uma melhor nutrição da população. A FAO também ressalta a importância de que haja mecanismos de proteção social para acelerar a redução da fome.
Tags:
Fonte:
Sou Agro

0 comentário