Publicidade

Projeto prevê incentivo fiscal para produtos orgânicos

Publicado em 22/10/2012 07:42 451 exibições
Proposta também beneficia empresa que construir espaço para prática de atividade física.
A Câmara analisa o Projeto de Lei 4180/12, do deputado Eduardo Gomes (PSDB-TO), que reduz a zero as alíquotas de PIS/Pasep e Cofins incidentes sobre a comercialização de produtos orgânicos no mercado interno.

O texto também concede benefícios fiscais relativos ao Imposto de Renda e à Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) devidos por empresas que criarem ou adquirirem espaços para prática de atividades físicas por empregados, dirigentes e os respectivos dependentes.

Para o autor, é fundamental que o Estado incentive a adoção de práticas e hábitos de vida saudáveis. “Em relação aos orgânicos, a medida pretende promover uma redução dos preços desses produtos para que eles possam ser consumidos por uma parcela maior dos brasileiros”, argumenta Gomes.

“Por outro lado, ao facilitar a compra ou construção de edificações e equipamentos destinados à prática de atividades físicas, também estamos ampliando o número de pessoas que têm a oportunidade de praticar exercícios físicos em seus locais de trabalho.”

Segundo a proposta, empresas tributadas com base no lucro real poderão promover depreciação acelerada, em valor correspondente à depreciação normal e sem prejuízo desta, do custo de construção ou de aquisição de edificações e de máquinas, equipamentos e aparelhos destinados à prática de atividades físicas por colaboradores e seus respectivos dependentes. A medida tem validade por cinco anos, a partir da aprovação da nova lei, e vale também para reformas ou ampliações.

Tramitação 
O projeto tem caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
Tags:
Fonte:
Agência Câmara

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário