Publicidade

Cenário externo ampliará em 4,3% faturamento do Setor Agropecuário em 2013

Publicado em 12/12/2012 07:32 216 exibições
Queda nos estoques mundiais, aumento do consumo e redução do volume de produção justificam crescimento das projeções.
Em entrevista à imprensa, a presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu, apresentou, na terça-feira (11), um balanço do agro em 2012 e traçou perspectivas para o próximo ano. Para 2013, a queda no volume dos estoques mundiais e o aumento do consumo de alimentos, principalmente nos países asiáticos, aliados à redução do volume produzido em alguns países, podem elevar em 4,3% o resultado do Valor Bruto da Produção (VBP) do setor agropecuário, em 2013, para R$ 382,8 bilhões. O cálculo do VBP considera o faturamento obtido com a venda de 25 produtos.

Os produtores rurais brasileiros poderão colher até 180,1 milhões de toneladas de grãos e fibras em 2013, volume suficiente para abastecer o mercado interno e gerar excedentes para manter um bom nível de exportação, segundo estimativas da CNA. Nesse cenário otimista, as estimativas de crescimento para o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio oscilam entre 3,5% a 4% para o próximo ano.

Apesar das incertezas sobre o futuro da economia mundial, em 2013, os fluxos comerciais devem crescer 4,5% no ano que vem, influenciados, entre outros motivos, pelas transações comerciais entre países emergentes, de acordo com o relatório World Economic Outlook, do Fundo Monetário Internacional (FMI). É nesse cenário que a CNA vislumbra o aumento das exportações do setor. A balança comercial do agronegócio brasileiro, segundo a entidade, poderá chegar a um saldo de US$ 83,2 bilhões em 2013, valor que, se confirmado, significa crescimento de 5,5% em relação a 2012.

No mercado externo, a expectativa é de recuo das cotações de soja, em 2013, ritmo influenciado pelo crescimento de 12% na safra mundial, especialmente no Brasil e na Argentina. As projeções indicam recuo de 17,4% nas cotações da oleaginosa em relação à média de 2012. Essa variação reduzirá as margens numa perspectiva de aumento de custos de produção. Levantamento da Superintendência Técnica da CNA aponta aumento em torno de 13% no Custo Operacional Efetivo (COE) da soja, reflexo, em grande parte, do aumento de cerca de 20% nos preços dos fertilizantes.

Mesmo assim, os produtores brasileiros optaram pela soja, em detrimento do milho, no período de plantio da safra de verão. A opção pela soja se deve à sua rentabilidade. Os elevados preços do milho, insumo utilizado na ração dos rebanhos, geram expectativas de queda no ritmo de crescimento do rebanho bovino brasileiro em 2013. Os pecuaristas de leite enfrentarão situação parecida no próximo ano.

SEGURANÇA JURÍDICA – Na avaliação da CNA, 2012 foi um ano de muitos avanços e conquistas. Incertezas que travaram o crescimento do setor nos últimos anos tiveram solução ou encaminhamento, na forma de marcos regulatórios firmes, que garantem segurança jurídica aos produtores e investidores. Entre eles, a instituição destaca o Código Florestal, que será regulamentado pelo Governo federal com a participação da CNA, os programas de logística para rodovias, ferrovias e portos e o Plano Agrícola e Pecuário 2012/2013, com juros menores, maior volume de financiamento e incremento do seguro agrícola.
Tags:
Fonte:
Canal do Produtor

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário