Mato Grosso se mantém em 2º nas exportações do agronegócio

Publicado em 20/12/2012 07:20 194 exibições
Mato Grosso se mantém como o segundo maior exportador de produtos do agronegócio no país. De janeiro a novembro os embarques regionais nessa modalidade registraram aumento e atingiram a receita de US$ 12,7 bilhões. O valor representa alta de 25,8% se comparado ao mesmo período de 2011 (US$ 10,1 bilhões). Frente às exportações nacionais do agronegócio a participação estadual no acumulado chega a 14,35%. Os dados, divulgados na terça-feira (18), são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O bom desempenho da soja e milho justificam a posição.

Em primeiro lugar segue São Paulo com US$ 18,6 bilhões, seguido por Mato Grosso (US$ 12,7 bilhões), Paraná (US$ 12 bilhões), Rio Grande do Sul (US$ 10,1 bilhões) e Minas Gerais US$ 7,1 bilhões.

No ano passado o Estado ocupava a 4ª colocação no ranking, atrás do líder São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. Ainda, conforme o Mapa, as exportações estaduais do agronegócio representam quase 99% do volume total negociado pelo Estado em 11 meses, que alcança a cifra de US$ 12,8 bilhões. Mais uma vez as exportações do complexo soja no acumulado do ano (US$ 5,4 bilhões) puxaram os embarques.

Dos cinco maiores exportadores apenas dois, Mato Grosso e Paraná, apresentaram aumento no acumulado do ano frente ao ano de 2011, sendo que o Estado ficou com o maior avanço 25,8%. Os outros três, São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais registram queda no período.

Conforme o diretor financeiro da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Nelson Piccoli, o aumento na receita dos embarques é reflexo da produção agrícola em 2012.

“Os recordes na safra 2011/2012 em Mato Grosso, somada às quebras de produção em alguns Estados brasileiros e no exterior, são fatores que contribuíram com números jamais vistos nas exportações do agronegócio no Estado e no País”, explicou.

Para Piccoli, a produção recorde de milho, que ultrapassou o marco de 15 milhões de toneladas, aliado aos preços recordes que a soja alcançou, são o que impulsionou o resultado estadual. “Tivemos ótimas safras impulsionadas pelo clima que favoreceu o plantio na janela ideal e a colheita”, concluiu o diretor da Famato.
Tags:
Fonte:
Famato

0 comentário