Quem te viu, quem te vê (Katia Abreu)

Publicado em 21/12/2012 04:29 918 exibições
no blog de Lauro Jardim (de veja.com.br)

Quem te viu, quem te vê

New look

Kátia Abreu está dando todas as indicações de que não medirá esforços para chegar à Esplanada em 2013. As últimas e mais objetivas ocorreram em Tocantins, durante a cerimônia de formatura de alunos do Pronatec.

Na ocasião, Kátia Abreu não desgrudou de Dilma Rousseff e, como se sabe, derramou-se em elogios à administração da possível futura chefe.

Além do discurso, se depender do novo look, ela está pronta para receber um ministério. Kátia apareceu no evento exibindo o corte que faz a cabeça da ala feminina da Esplanada, de Miriam Belchior a Gleisi Hoffmann.

De longe, está a cara de Ideli Salvatti.

Por Lauro Jardim

Ligando sem parar

Inquietos com a prisão

Não para de tocar o celular de grande parte dos advogados dos mensaleiros. Inquietos com a possibilidade de prisão, os condenados tentam arrancar de seus defensores – em vão – uma mensagem positiva sobre a decisão de Joaquim Barbosa.

Alertados sobre a possibilidade real de serem mandados para a cadeia, alguns dos condenados pedem para que seus advogados avisem as autoridades que eles vão se entregar onde for necessário.

Estão preocupados com filhos e com a família. Não querem a polícia na porta de suas casas às seis da manhã.

Por Lauro Jardim

Para bom entendedor

Mensagem de fim de ano

O tradicional cartão de boas festas enviado pelo Planalto aos parlamentares, com papel timbrado e brasão da República, é ilustrado por uma foto de Dilma Rousseff.

Salta aos olhos o exagero do photoshop aplicado na imagem. Dilma aparece sem uma ruga e com a pele brilhosa. Mas até aí, beleza.

Chama atenção também o trecho final da cartinha, que cairia com uma luva para os companheiros de PT.

Depois de afirmar que “o futuro que queremos não será construído por si mesmo”, o texto assinado por Dilma diz: “Estamos no limiar de um novo momento, que nos exigirá mais dedicação, mais determinação e mais responsabilidade. Mudanças profundas individuais, institucionais e coletivas”.

Por Lauro Jardim

Joaquim Barbosa bem que avisou…

Desacatando a Instituição

Interlocutores de Joaquim Barbosa estão impressionados com os ataques que os mensaleiros condenados têm desferido contra o STF.

Nesta semana, além das risíveis criticas dando conta de que o julgamento teria sido político e de exceção, figuras como João Paulo Cunha e José Dirceu repetem que os ministros agiram por pressão da mídia.

Não satisfeitos, chegaram a pedir para a militância sair às ruas e, como eles, achincalhar o Supremo.

Pois bem, pelo jeito, parece que o aviso que Barbosa deu quando mandou apreender os passaportes dos mensaleiros entrou por um ouvido e saiu pelo outro.

Veja trecho da decisão de novembro:

- Considero, por outro lado, que alguns dos acusados vêm adotando comportamento incompatível com a condição de réus condenados e com o respeito que deveriam demonstrar para com o órgão jurisdicional perante o qual respondem por acusações de rara gravidade. Uns, por terem realizado viagens ao exterior nesta fase final do julgamento. Outros, por darem a impressão de serem pessoas fora do alcance da lei, a ponto de, em atitude de manifesta afronta a este Supremo Tribunal Federal, qualificar como “política” a árdua, séria, imparcial e transparente atividade jurisdicional a que vem se dedicando esta Corte.

De lá para cá, os ataques só pioraram.

Depois, quando o pedido de Roberto Gurgel para a prisão imediata for avaliado, não vai dar para dizer que Barbosa não avisou…

Por Lauro Jardim

da coluna  Direto ao Ponto, de Augusto Nunes:

SAIU A LISTA MAIS ESPERADA DO NATAL

Com 195 nomes divididos em nove núcleos, já está na seção O País quer Saber a lista mais esperada que qualquer presente de Natal. Em ordem alfabética, ali desfilam as figuras que, por decisão do timaço de comentaristas, não podem ficar fora da campanha resumida na palavra de ordem “Mexeu com Lula, mexeu comigo!”

Confira a relação de patriotas que resolveram transformar o ex-presidente no único brasileiro com licença para pecar sem castigo. Quem achar que faltou algum nome está convidado a apresentar recursos em segunda instância. Todos serão examinados com muito carinho.

(Augusto Nunes)

O caso contado por Neil Ferreira mostra a diferença entre errar e agir de má-fé

Leiam o recado do ótimo Neil Ferreira. Comento em seguida:

“Ontem, um repórter perguntou a FHC: “O senhor acha que o mensalão tucano deve ser julgado?”. A resposta foi um curto, simples e honrado “Sim”. Nada de “mensalão não existe, apenas caixa 2 que todo mundo faz”.

Manchete da página política do Estadão, que assino: FHC PEDE JULGAMENTO DO MENSALÃO TUCANO

“PEDE”?

Pode-se antecipar a manchete caso FHC cumprimente esse repórter|com um singelo “bom dia”: FHC ACUSA LULA PELA CHUVARADA

E la nave va.

Nave nenhuma, acrescento, chegará a bom porto tripulada por repórteres e editores que se valem de uma resposta de três letras para criar manchetes de seis palavras. Nave nenhuma escapará do naufrágio se pilotada por grumetes que, além de colocarem na boca do entrevistado o que foi uma pergunta do entrevistador, antes tratam de trocar um insosso “deve” por um picante “pede”.

O episódio resumido por Neil Ferreira não se enquadra na categoria dos equívocos indesejados. Foi uma esperteza deliberada, concebida para atrair leitores com notícias que não há. Errar involuntariamente é pecado venial. Mortal é agir de má-fé.

(Augusto Nunes).



Tags:
Fonte:
Blog Lauro Jardim (veja)

1 comentário

  • Anilton Souza Rodrigues Manzano Amambai - MS

    PREZADOS, Com referencia a essa pergunta do reporter ao Presidente Fernando Henrique, se o Mensalão do PSDB deveria ser Julgado. Tenho a impressão que FHC tenha respondido "SIM", justamente para demonstrar a lisura e a transparencia das Ações de seu Governo. Não seria o Presidente FHC a PEDIR JULGAMENTO DE MENSALÃO TUCANO, independe da pessoa dele, e sim dos que suspeitarem da possibilidade da existencia do mensalão Tucano, e para isso existe o mesmo caminho que trouxe a tona as falcatruas dos PETISTAS julgados e condenados pelo STF.

    0