Município de Alto Boa Vista-MT vive caos com a chegada das famílias desabrigadas de Suiá Missu

Publicado em 07/01/2013 17:59 e atualizado em 07/01/2013 18:36 1343 exibições
Dezenas de famílias que foram retiradas de suas propriedades da Suiá Missu agora estão morando em escolas e quadras cobertas.
Os reflexos negativos da desintrusão da área de Suiá Missu demarcada Reserva Indígena Marawatsede já são sentidos no município de Alto Boa Vista um dos mais afetados pela operação. Mais de 70% da área da Suiá Missu estava dentro do município de Alto Boa Vista. Além de diminuir o território da cidade, houve uma transferência de problemas para a cidade.

De acordo com o Prefeito Leuzipe Domingos (PMDB) a situação é caótica e muito preocupante. “Neste primeiro momento estamos atendendo à população que precisa sair das áreas da Suiá para não enfrentarem problemas maiores, mas o município não tem condições de arcar sozinho com mudanças , acomodação e subsistência dessas famílias, estamos fazendo o que dá, mas economicamente é inviável fazermos tudo isso sozinhos”, explicou o Prefeito de Alto Boa Vista.

A Prefeitura está arcando com o transporte das mudanças de algumas famílias que dizem não ter para onde ir, elas estão sendo levadas para o município e estão sendo abrigadas nas escolas e também em quadras escolares, de acordo com o Prefeito mais de 50 famílias já estão alojadas nesses abrigos improvisados, além disso, Leuzipe afirma que na cidade, tem casas que chega a ter 3 famílias morando no mesmo local. “Estamos transferindo o problema e não resolvendo ele, as famílias estamos levando para as escolas, mas as escolas deveriam estar passando por processos de reformas, para começar o ano letivo, mas temos que dar atendimento à essas famílias e não temos o que fazer, não podemos arcar sozinhos com isso de jeito algum”, disse o Prefeito.

Segundo ele, a Assistência Social do Município está trabalhando no levantamento dos dados com número exatos de famílias que estão sendo retiradas da área e sendo beneficiadas pela Prefeitura, a intenção é procurar formas para o município receber ajuda.

 

Estado de Calamidade Publica

O Prefeito de Alto Boa Vista também falou ao Agência da Notícia sobre a possibilidade de decretar estado de calamidade no município, porém segundo ele esse tipo de decreto não pode ser feito agora, porque o município não está apto  a conseguir fazer nenhum tipo de convenio.

Segundo Leuzipe Domingos, a falta de pagamento de parcelamentos feitos com o INSS pela antiga administração anterior e as parcelas do INSS do ano de 2012, inviabilizou a assinatura  de qualquer tipo de convenio. “Nós assumimos a Prefeitura e estamos tentando entender o que está acontecendo, a equipe de transição não passou todas as informações, um exemplo é está dívida com o INSS que um levantamento por alto feito pela equipe de contabilidade aponta uma dívida de cerca de R$ 400 mil com o INSS, e isso é uma situação que não poderia acontecer de forma alguma, inviabiliza o município a assinar qualquer convênio”, explicou o Prefeito. 

Geração de Emprego e Renda

A situação econômica do município de Alto Boa Vista é uma das piores, além das famílias que estão sendo despejadas dentro da cidade, existe também a falta de emprego e consequentemente a falta de renda para os trabalhadores do município. Leozipe explicou que o Laticínio, por exemplo, que funcionava até pouco mais de um mês, chegou a industrializar 40 mil litros de leite por dia, gerando 10 empregos diretos e mais de 300 indiretos. “Imagina quantos produtores entregavam o leite no laticínio, era uma renda da venda do leite, das pessoas que trabalhavam nessas propriedades além dos empregos no próprio laticínio. E agora onde estão essas pessoas? Estão jogadas pelas ruas e nos abrigos que estamos improvisando”, disse Leuzipe.

No Posto da Mata existem também secadores de arroz que de acordo com o Prefeito tinha capacidade de armazenamento de até mil sacos por dia e que também está parado. “Existem produtores que plantaram arroz acreditando eu iam beneficiar nesses secadores e agora não sabem o que fazer. Então em todos os lados que a gente olhar a situação é critica e bastante preocupante, pessoas estão sendo jogadas na rua, o município entrando um ano difícil, estamos fazendo o que é possível e oque é impossível também”, explicou Leozipe que ainda disse que a situação piora a cada dia que passa.

Tags:
Fonte:
Agência da Notícia

1 comentário

  • Andre Luiz Scariot Gentil - RS

    Isto que esta acontecendo é uma vergonha, tirar pessoas trabalhadoras de onde viviam a décadas para jogalas no relento, e o nosso governo a cada dia que passa "nesta causa" se mostra mais omisso (como se nada tivesse acontecendo).

    0