Código Florestal: Expansão de reservas encolheu área plantada em 45 milhões de hectares

Publicado em 06/08/2013 06:31 e atualizado em 06/08/2013 08:14
672 exibições
Redução da área foi registrada entre 1985 e 2006, diz Evaristo de Miranda. Pesquisador da Embrapa apontaque maior tragédia foi Código Florestal.

com a Agência Estado

A expansão de reservas indígenas e de unidades de preservação no Brasil fez que a área ocupada pela agricultura encolhesse 45 milhões de hectares entre 1985 e 2006 e essa retração deve continuar segundo Evaristo Eduardo Miranda, pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e coordenador na Secretaria de Acompanhamento e Estudos Institucionais da Presidência da República.

"Precisamos de inteligência estratégica para ampliar área no Brasil e o que vemos é um processo oposto", disse durante o 12º Congresso Brasileiro de Agronegócios, que acontece nesta segunda-feira (5), em São Paulo.

Também participante do painel "Expansão de área para o aumento da oferta", o sócio-diretor da MP Agro, Alexandre Mendonça de Barros, calcula que 93% da expansão de oferta no último século foi obtida por ganhos de produtividade e apenas 7% por aumento de área.

"Se formos olhar para expansão de área, nós avançamos muito pouco. A resposta brasileira na agricultura se dá em produtividade, e não em área", reforçou o economista. Segundo Mendonça de Barros, a soja é a cultura que ganhou mais área no Brasil. "Estamos vendo uma 'sojificação' da agricultura brasileira", disse, referindo-se ao avanço das lavouras da oleaginosa sobre outras culturas, como milho e algodão.

Para Eduardo Miranda, apesar das enormes proporções territoriais do país, existem limitações ecológicas, econômicas e sociais para a incorporação de novas terras cultiváveis. "A maior tragédia foi o Código Florestal", disse Miranda, alertando para a necessidade de revisar a legislação. Ele acrescentou que a tecnologia terá papel fundamental na ocupação de novas áreas e a Embrapa está desenvolvendo estudos na área de gestão territorial.

De acordo com Miranda, o oeste da Bahia já esgotou o potencial de expansão de lavouras, mas outros estados como Maranhão e Piauí ainda têm áreas consideráveis que podem ser incorporadas à agricultura.

Tags:
Fonte: G1 / Globo Rural

Nenhum comentário