Inflação baixa dos alimentos e alta produção de grãos caracterizaram a segurança alimentar do último trimestre na América Latina

Publicado em 19/11/2013 11:42 e atualizado em 19/11/2013 12:29 284 exibições
Relatório do trimestre julho-setembro da FAO também destaca a positiva balança comercial dos alimentos na região e analisa as quatro dimensões da segurança alimentar no período.

O trimestre julho-setembro de 2013 terminou com bons sinais para a segurança alimentar na América Latina e Caribe, disse hoje o Escritório Regional da FAO.
 
De acordo com o Boletim Trimestral de Segurança Alimentar, nesse período os preços dos alimentos na região se mantiveram baixos, enquanto que o comercio alimentar e a produção de grãos dos países cresceu positivamente.
 
“Se somamos a isso o crescimento econômico positivo e a estabilidade das dimensões regionais da segurança alimentar, vemos que existem as condições para que a região continue seu forte avanço em direção à meta de fome zero”, disse o Representante Regional da FAO, Raul Benitez.
 
Benitez lembrou que a América Latina e Caribe é a região do mundo que realizou os maiores progressos na luta global contra a fome, reduzindo em 20 milhões o número de pessoas que passam fome, nas últimas duas décadas.
 
Produção de grãos se expande da América Latina e Caribe
Na América Latina e Caribe, as previsões indicam que a produção de grãos irá superar em 9,5% a produção do ano anterior, alcançando 223,1 milhões de toneladas. Dessas, 181,1 milhões de toneladas correspondem exclusivamente à produção da América do Sul, sub-região que incrementaria sua produção em 11,3% com respeito à temporada anterior.
 
No resto da região também é esperado um aumento na produção. Na América Central, México e Caribe, como um todo, a produção de grãos deverá atingir 42 milhões de toneladas, 2,2% a mais que o desempenho de 2012. (Mais informações)
 
Baixa inflação dos alimentos
A inflação dos alimentos na América Latina e no Caribe foi de 1,3% durante o terceiro trimestre, o nível mais baixo no ano para um trimestre. 
Isto confirma a tendência de desaceleração que tinha mostrado o trimestre anterior, quando atingiu 2%. A inflação geral trimestral, entretanto, mostrou quase que o mesmo nível do trimestre anterior, atingindo 1,5%. 

Países como o Brasil, Guatemala, Panamá, Nicarágua e Venezuela, foram os que mais contribuíram para a redução no movimento dos preços dos alimentos. (Mais informações) 

Resultados positivos na balança comercial

A balança comercial dos alimentos no segundo trimestre de 2013 ultrapassou os 44 bilhões de dólares, 18% acima do desempenho comercial do mesmo trimestre do ano passado. A maioria dos países latino-americanos apresentou saldos favoráveis durante o segundo trimestre de 2013.

Durante o segundo trimestre de 2013, as exportações de alimentos estiveram perto de chegar a 64 bilhões de dólares, 14% acima do valor exportado no mesmo período de 2012. Esse desempenho é explicado, em grande parte, pelos bons resultados observados na Argentina e no Brasil, principais exportadores da região, responsáveis por 60% das exportações de alimentos no trimestre. 

Importações regionais aumentaram 5% em comparação com o segundo trimestre do ano passado, chegando a 19,4 bilhões de dólares. O principal importador da região é o México, concentrando um terço dos produtos alimentícios importados na América Latina. 

Tags:
Fonte:
FAO

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário