Na FOLHA: Marina acena ao agronegócio e diz ser possível falar em agropecuária sem ser contra o meio ambiente

Publicado em 29/08/2014 10:32 792 exibições
Marina adota discurso de apoio ao Pró-Álcool e ataca política federal para o etanol.Candidata do PSB promete estímulo à fonte de energia alternativa, que perdeu lucratividade

Candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva adotou nesta quinta-feira (28) o discurso dos usineiros e atacou a política do governo Dilma Rousseff (PT) para o setor sucroenergético.

Em visita à Fenasucro, em Sertãozinho (a 333 km de São Paulo), Marina disse que, se eleita, corrigirá as políticas "equivocadas" adotadas pelo governo federal e prometeu ainda criar um marco regulatório para o setor.

Usineiros têm criticado medidas da União como a manutenção do preço artificial da gasolina para conter a inflação, o que impede melhor remuneração ao etanol.

"Vocês fizeram o dever de casa, se ajustaram, acreditaram na propaganda do governo, assumiram compromissos para fornecer uma fonte de energia que deveria ser estimulada, apoiada. Mas os erros que foram praticados devem ser corrigidos", disse Marina em discurso para 300 pessoas, entre lideranças e empresários do setor.

Vista ainda com ressalvas por representantes do agronegócio, Marina disse que se o atual governo tivesse feito "menos propaganda" e tivesse "mais governança", o setor não estaria na situação em que se encontra hoje.

A candidata afirmou que o setor procurou se ajustar para produzir com sustentabilidade e citou como exemplo a mecanização da colheita de cana de açúcar, "para evitar a mão de obra de penúria".

"Vocês fizeram tudo isso e olha o prêmio que recebem: o incentivo a uma matriz energética suja, que prejudica o setor [sucroalcooleiro]."

Marina prometeu ainda criar "um marco regulatório com regras claras" para que as empresas voltem a investir no setor e disse que a medida está em seu programa.

Marina, porém, negou que tenha visitado a feira para agradar aos representantes do agronegócio e disse que o compromisso havia sido firmado por Eduardo Campos, seu ex-companheiro de chapa morto em 13 de agosto.

A candidata falou ainda que deve manter a Embrapa "forte e vigorosa" e que é possível aliar a defesa do ambiente às atividades agrícolas. "Há uma visão equivocada de que quando se fala em agricultura e pecuária significa ser contra o meio ambiente. É possível juntar as coisas numa mesma equação."

Para Marina, o Brasil continuará sendo potência agrícola, elevando a produção com ganho de produtividade.

AMADOR

Durante o seu discurso, Marina respondeu ao candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, que afirmou que o Brasil não pode ser governado por "amadores".

"Dizem que o Brasil não pode ser governado por amadores dos sonhos, mas o Brasil terá que escolher e apostar no sonho de que possamos ter um Estado eficiente, escolhendo os melhores e não os indicados por interesses partidários", declarou.

Candidata e setor divergiram sobre Código Florestal

DE SÃO PAULO

Ao buscar aproximação com os líderes do agronegócio, Marina Silva tenta construir uma ponte com uma fatia do empresariado que ela ainda não tem a seu lado na campanha.

O setor financeiro e os industriais já não consideram a candidata do PSB uma ameaça para a estabilidade econômica.

Mas o relacionamento da ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula com os empresários do campo sempre foi mais conturbado.

Marina e os ruralistas divergem em vários pontos da legislação que regula a preservação ambiental --vista pela ex-senadora como frouxa e por eles como rigorosa demais.

Durante a votação do Código Florestal, aprovado em 2012, Marina trabalhou para que todos os responsáveis por desmatamento fossem obrigados a recuperar ou compensar os estragos que fizeram. Os ruralistas conseguiram limitar o alcance da lei.

Quando se juntou a Eduardo Campos, no ano passado, a ex-ministra irritou os produtores rurais ao vetar a presença do deputado federal Ronaldo Caiado (DEM-GO) no grupo de apoio à candidatura do PSB à Presidência.

Um dos maiores focos de resistência ao nome de Marina hoje fica o Centro-Oeste, que concentra grandes produtores com foco na exportação de grãos.

Boa parte dos plantadores de soja e pecuaristas da região não engolem a presidenciável do PSB por causa de suas posições em temas como demarcação de terras indígenas e desmatamento.

O QUE ELA já DISSE:

EM 2014

"Temos vários agronegócios, tem muita gente que está na vanguarda de integrar economia com ecologia"

no lançamento de sua candidatura à Presidência, em 20.ago, uma semana após a morte de Eduardo Campos

EM 2013

"Existem agro-negócios, no plural. Evidentemente que uma crítica ao setor mais atrasado do ruralismo brasileiro, não pode ser feita agronegócio"

em entrevista ao "Roda Viva" da TV Cultura, em 21.out.2013

EM 2010

"O etanol pode fazer um resgate histórico e ambiental se formos capazes de integrar desenvolvimento, meio ambiente e justiça social na mesma equação"

em evento do setor sucroalcooleiro, em jun.2010

"Eu sou uma grande solução para o agronegócio brasileiro. Não me conformo que o governo passou mais tempo gastando com propaganda do etanol em vez de fazer a certificação [ambiental] do produto"

em entrevista, no mesmo mês

Tags:
Fonte:
Folha de S. Paulo

2 comentários

  • Izabel Lima Mococa - SP

    Na Folha de São Paulo

    Marina desautoriza PSB e veta doações de empresas de álcool e tabaco

    POR PAINEL

    30/08/14 02:00

    O veto de Marina Fortalecida pelas pesquisas que agora a apontam como favorita na corrida presidencial, Marina Silva desautorizou o tesoureiro do PSB, Márcio França, que declarou não se importar com a origem das doações da campanha. Ela reuniu seus arrecadadores e reafirmou o veto a contribuições de empresas de álcool, tabaco, armas e agrotóxicos. Embora o deputado continue à frente do comitê financeiro, o homem de confiança de Marina é o executivo Alvaro de Souza, ex-presidente do Citibank.

    0
  • João Alves da Fonseca Paracatu - MG

    Mentira pura , sem mistura, a candidata Marina está na busca de votos , então o momento é de se mostrar boazinha e conciliadora, a Marina mulher não é esta santinha que estão te vendendo , abram os olhos !

    0