Couro do Brasil: veja o balanço final das exportações em 2014

Publicado em 06/01/2015 14:54
43 exibições

O valor total de couros e peles exportados do Brasil em 2014 alcançou US$ 2,947 bilhões. A soma superou em 17,4% as exportações registradas em 2013. A informação é da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), com apuração da Inteligência Comercial do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB).

Os números exclusivos do mês de dezembro apontam aumento de 5,8% em relação ao mesmo mês de 2013: no último mês de 2014 exportou-se US$254 milhões. No ano anterior, este montante foi de US$240,1 milhões.

O presidente executivo do CICB, José Fernando Bello, avalia que o balanço das exportações de 2014 é positivo não apenas em números, mas também na série de esforços e investimentos do setor para ser mais competitivo no mercado externo. O gestor destaca que o trabalho empenhado em pautas como qualidade do couro, sustentabilidade, promoção de imagem e tecnologia foram fundamentais para os resultados de 2014, bem como para a continuidade do país como protagonista no cenário internacional. “Foi um bom ano em termos de números, com o couro tendo o seu valor reconhecido em todo o mundo como uma matéria-prima superior. Acreditamos que os avanços atingidos em 2014 estejam ligados ao trabalho de todo o setor em fazer o couro do Brasil ter seu devido reconhecimento, com inovação, conhecimento e investimentos. Este é o resultado que pode render benefícios por anos para a indústria”, salienta Bello. Ele menciona o projeto setorial Brazilian Leather – uma iniciativa de CICB e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para incentivo às exportações de couros – como um vetor fundamental no balanço das exportações em 2014.

O ano de 2015 inicia-se com diversos desafios para o setor de couros do Brasil, que espera manter o ritmo dos resultados de 2014. Bello destaca que este é um momento importante e decisivo para que os governos tenham uma postura mais colaborativa com a indústria, o que deve trazer benefícios diretos para a economia do país.

Tags:
Fonte: CICB

Nenhum comentário