Aprosoja apresenta demandas para deputado federal Adilton Sachetti

Publicado em 13/01/2015 12:03
89 exibições
Parlamentar reuniu representantes do agronegócio para ajudar a traçar propostas para seu mandato

O deputado federal eleito Adilton Sachetti (PSB) reuniu lideranças do agronegócio nesta segunda (12), em um hotel de Cuiabá, para ouvir as demandas do setor e traçar propostas para seu mandato em Brasília. O presidente da Associação de Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Ricardo Tomczyk, levou os principais temas de trabalho para a melhoria da cadeia produtiva da soja e do milho. “É uma boa iniciativa, pois ouvindo os setores da sociedade, o deputado conseguirá bons resultados. Este diálogo é ótimo para que possamos extrair o máximo dessa relação”, diz Tomczyk.
 
“Temos orgulho do agronegócio, pois movimenta a economia de Mato Grosso. Vamos trabalhar para que as demandas sejam atendidas”, diz Sachetti. O deputado federal apresentou a missão e os valores de seu mandato.
 
O presidente da Aprosoja mostrou os principais temas de discussão: direito de propriedade, legislação trabalhista, defesa agropecuária, política agrícola e logística. Na questão do direito de propriedade, a preocupação recai sobre a demarcação de terras indígenas. O setor quer a aprovação da PEC 215, que transfere para o Congresso Nacional a responsabilidade por estas demarcações.
 
A associação também entende que é necessária uma reforma na legislação trabalhista brasileira. “É preciso entender como funciona o trabalho no campo, sem tirar os direitos dos trabalhadores”, explica Tomczyk. Dentro desta discussão, o presidente da Aprosoja também cita a terceirização do trabalho no campo e a definição do conceito de trabalho escravo. O  e-social, projeto do governo federal que vai unificar o envio de informações pelo empregador em relação aos seus empregados utilizando a internet. “É mais um exemplo do desconhecimento do trabalho no interior do Brasil. Em muitos municípios de Mato Grosso a internet funciona precariamente, imagine em fazendas afastadas”, pontua Tomczyk.
 
Sobre a defesa agropecuária, a entidade listou a rotulagem de transgênicos, a classificação de grãos, o refúgio para tecnologia BT e a revisão dos processos para liberação de novas moléculas. Na política agrícola, estão incluídos temas como seguro agrícola e o preço mínimo do milho.
 
Na área ambiental, a preocupação é com a moratória da soja, que poderia ser transformada em lei nacional. E na logística, o pedido foi para que haja foco nos trabalhos para o escoamento de grãos para a região Norte do Brasil. “Precisamos finalizar a BR-163, dar também atenção à BR-242 para dar vazão à nossa safra”, diz Tomczyk. O projeto de lei dos caminhoneiros e a fusão da ALL com a Rumo também foram pontuados.
 
Também participaram da reunião os representantes da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (FAMATO), da Associação de Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Fundo de Apoio à Bovinocultura de Corte (Fabov).

Tags:
Fonte: Aprosoja MT

Nenhum comentário